OFERTA FORMATIVA

Ref. 220T1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123525/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 08-07-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Preço: 15.00€

Formador

Paula da Conceição Rodrigues Ribeiro

Ana Paula Príncipe Cardoso

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, enquanto competência transversal a todas as áreas do saber, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 10.ª edição, centra-se, este ano, na arte de ler a poesia, uma forma de expressão artística que pode contribuir para a formação integral da pessoa, pois estimula a sensibilidade, a imaginação, a criatividade, a linguagem e a reflexão crítica, permitindo explorar diferentes formas de ver e sentir o mundo, de comunicar ideias e emoções, de brincar com as palavras e os sons, de apreciar a beleza e a diversidade da língua. Por isso, apresenta-se como uma ferramenta pedagógica valiosa para educadores e docentes de todas as áreas disciplinares, favorecendo a interdisciplinaridade, a transversalidade e a integração dos saberes, além de promover a formação de leitores críticos, criativos e sensíveis. Deste modo, a formação “Da Arte de Ler… a Poesia” propõe um espaço-tempo propício para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento de cidadãos plenos.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas, proporcionando o debate e a reflexão sobre o papel da leitura e de diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos educadores e docentes face à sua missão e às exigências da sociedade da informação e do conhecimento, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos, mobilizando-os para a importância do papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo a desenvolver com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto poético como potenciador da apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha de diferentes experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto poético.

Conteúdos

A formação totaliza 15 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas) e oficinas, asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da Arte de Ler… a Poesia” para agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto poético encerra; 3- O texto poético como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto poético para o envolvimento/motivação dos discentes na aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto poético como potenciador da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo; 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Prevê, ainda, a dinamização de oficinas temáticas, com vista ao desenvolvimento de estratégias promotoras de competências, valores e literacias múltiplas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Avaliação

A avaliação final é quantitativa, na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo em conta a apreciação da participação nas atividades realizadas nas diferentes sessões atividades (40%) e do Relatório Individual Final (60%) Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom ­- de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina. - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf. - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf. - Silva, V.M. de Aguiar e (1993). Teoria da Literatura. Livraria Almedina.

Anexo(s)


Observações

A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento: Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL


Ref. 220T2 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123525/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 08-07-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Preço: 15.00€

Formador

Ana Paula Príncipe Cardoso

Paula da Conceição Rodrigues Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, enquanto competência transversal a todas as áreas do saber, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 10.ª edição, centra-se, este ano, na arte de ler a poesia, uma forma de expressão artística que pode contribuir para a formação integral da pessoa, pois estimula a sensibilidade, a imaginação, a criatividade, a linguagem e a reflexão crítica, permitindo explorar diferentes formas de ver e sentir o mundo, de comunicar ideias e emoções, de brincar com as palavras e os sons, de apreciar a beleza e a diversidade da língua. Por isso, apresenta-se como uma ferramenta pedagógica valiosa para educadores e docentes de todas as áreas disciplinares, favorecendo a interdisciplinaridade, a transversalidade e a integração dos saberes, além de promover a formação de leitores críticos, criativos e sensíveis. Deste modo, a formação “Da Arte de Ler… a Poesia” propõe um espaço-tempo propício para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento de cidadãos plenos.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas, proporcionando o debate e a reflexão sobre o papel da leitura e de diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos educadores e docentes face à sua missão e às exigências da sociedade da informação e do conhecimento, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos, mobilizando-os para a importância do papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo a desenvolver com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto poético como potenciador da apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha de diferentes experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto poético.

Conteúdos

A formação totaliza 15 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas) e oficinas, asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da Arte de Ler… a Poesia” para agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto poético encerra; 3- O texto poético como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto poético para o envolvimento/motivação dos discentes na aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto poético como potenciador da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo; 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Prevê, ainda, a dinamização de oficinas temáticas, com vista ao desenvolvimento de estratégias promotoras de competências, valores e literacias múltiplas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Avaliação

A avaliação final é quantitativa, na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo em conta a apreciação da participação nas atividades realizadas nas diferentes sessões atividades (40%) e do Relatório Individual Final (60%) Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom ­- de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina. - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf. - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf. - Silva, V.M. de Aguiar e (1993). Teoria da Literatura. Livraria Almedina.

Anexo(s)


Observações

A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento: Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL


Ref. 220T3 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123525/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 08-07-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Preço: 15.00€

Formador

Ana Paula Príncipe Cardoso

Paula da Conceição Rodrigues Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, enquanto competência transversal a todas as áreas do saber, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 10.ª edição, centra-se, este ano, na arte de ler a poesia, uma forma de expressão artística que pode contribuir para a formação integral da pessoa, pois estimula a sensibilidade, a imaginação, a criatividade, a linguagem e a reflexão crítica, permitindo explorar diferentes formas de ver e sentir o mundo, de comunicar ideias e emoções, de brincar com as palavras e os sons, de apreciar a beleza e a diversidade da língua. Por isso, apresenta-se como uma ferramenta pedagógica valiosa para educadores e docentes de todas as áreas disciplinares, favorecendo a interdisciplinaridade, a transversalidade e a integração dos saberes, além de promover a formação de leitores críticos, criativos e sensíveis. Deste modo, a formação “Da Arte de Ler… a Poesia” propõe um espaço-tempo propício para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento de cidadãos plenos.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas, proporcionando o debate e a reflexão sobre o papel da leitura e de diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos educadores e docentes face à sua missão e às exigências da sociedade da informação e do conhecimento, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos, mobilizando-os para a importância do papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo a desenvolver com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto poético como potenciador da apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha de diferentes experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto poético.

Conteúdos

A formação totaliza 15 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas) e oficinas, asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da Arte de Ler… a Poesia” para agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto poético encerra; 3- O texto poético como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto poético para o envolvimento/motivação dos discentes na aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto poético como potenciador da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo; 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Prevê, ainda, a dinamização de oficinas temáticas, com vista ao desenvolvimento de estratégias promotoras de competências, valores e literacias múltiplas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Avaliação

A avaliação final é quantitativa, na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo em conta a apreciação da participação nas atividades realizadas nas diferentes sessões atividades (40%) e do Relatório Individual Final (60%) Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom ­- de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina. - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf. - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf. - Silva, V.M. de Aguiar e (1993). Teoria da Literatura. Livraria Almedina.

Anexo(s)


Observações

A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento: Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL


Ref. 220Suplentes Inscrições abertas até 26-06-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123525/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 08-07-2024

Fim: 09-07-2024

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, enquanto competência transversal a todas as áreas do saber, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 10.ª edição, centra-se, este ano, na arte de ler a poesia, uma forma de expressão artística que pode contribuir para a formação integral da pessoa, pois estimula a sensibilidade, a imaginação, a criatividade, a linguagem e a reflexão crítica, permitindo explorar diferentes formas de ver e sentir o mundo, de comunicar ideias e emoções, de brincar com as palavras e os sons, de apreciar a beleza e a diversidade da língua. Por isso, apresenta-se como uma ferramenta pedagógica valiosa para educadores e docentes de todas as áreas disciplinares, favorecendo a interdisciplinaridade, a transversalidade e a integração dos saberes, além de promover a formação de leitores críticos, criativos e sensíveis. Deste modo, a formação “Da Arte de Ler… a Poesia” propõe um espaço-tempo propício para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento de cidadãos plenos.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas, proporcionando o debate e a reflexão sobre o papel da leitura e de diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos educadores e docentes face à sua missão e às exigências da sociedade da informação e do conhecimento, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos, mobilizando-os para a importância do papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo a desenvolver com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto poético como potenciador da apropriação de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha de diferentes experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto poético.

Conteúdos

A formação totaliza 15 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas) e oficinas, asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da Arte de Ler… a Poesia” para agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto poético encerra; 3- O texto poético como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto poético para o envolvimento/motivação dos discentes na aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto poético como potenciador da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo; 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Prevê, ainda, a dinamização de oficinas temáticas, com vista ao desenvolvimento de estratégias promotoras de competências, valores e literacias múltiplas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Avaliação

A avaliação final é quantitativa, na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo em conta a apreciação da participação nas atividades realizadas nas diferentes sessões atividades (40%) e do Relatório Individual Final (60%) Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom ­- de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina. - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf. - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf. - Silva, V.M. de Aguiar e (1993). Teoria da Literatura. Livraria Almedina.

Anexo(s)


Observações

IMPORTNTE: Neste momento não temos vaga. Caso mantenha o interesse em frequentar o Curso, inscreva-se nesta turma mas não proceda ao pagamento até ser contactado(a) por nós. Obrigada


INSCREVER-ME

Ref. 231T1 Inscrições abertas até 01-07-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114209/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-09-2024

Fim: 31-12-2024

Regime: Presencial

Local: Centro Náutico São Martinho do Porto

Formador

Joaquim Francisco Couto Silva

Destinatários

Professores dos Grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260 e 620. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

Face à excelência dos resultados internacionais alcançados nos últimos anos e à visibilidade e mediatismo que os mesmos tiveram, a Canoagem está a passar uma fase de crescimento exponencial, com uma procura e adesão cada vez maior por parte dos jovens. O valor formativo da Canoagem, pessoal, ecológico, físico, psicológico e social, como modalidade que permite o contacto entre praticantes num convívio saudável com a natureza, tem sido cada vez mais valorizado. A adesão dos alunos das várias escolas tem sido enorme e, em colaboração com os Clubes locais, começa-se a notar os resultados do bom trabalho que tem sido efetuado. A aprendizagem e treino da Canoagem, tal como outras modalidades, exigem um trabalho e conhecimento específico, que a maioria dos Professores não possui.

Objetivos

1. Formação de novos núcleos e Centros de Formação de Desporto Escolar: - Dar formação aos docentes; - Apresentar a Canoagem à comunidade escolar; - Ser intermediário nas relações e protocolos estabelecidos entre as Escolas e os Clubes; 2. Desenvolvimento de competências e conhecimentos dos docentes responsáveis por Grupos Equipa de Canoagem e Centros de Formação Desportiva de Desportos Náuticos já existentes: - Conhecer as várias especialidades da Canoagem; - Conhecer as bases metodológicas que orientam o treino da Canoagem; - Construir uma unidade didática de Canoagem tendo em conta as progressões pedagógicas abordadas; - Definir os objetivos do treino da Canoagem para os vários escalões etários.

Conteúdos

SESSÕES TEÓRICAS (8h) Sessão n.º 1 – 2h - Canoagem Federada em Portugal; - A Canoagem na Escola e no Desporto Escolar; - Enquadramento e Regulamentos da Canoagem no Desporto Escolar e no Desporto Federado; Sessão n.º 2 – 3h - O processo de ensino-aprendizagem da Canoagem; - Progressões pedagógicas; - Técnica de Pagaiada e situações de aprendizagem; Sessão n.º 3 – 3h - Organização do Processo de treino; - Treino Específico vs Treino Geral; - O treino das capacidades físicas na Canoagem; SESSÕES PRÁTICAS (17h) Sessão n.º 4 – 1h30 - Iniciação ao kayak (pressupostos e técnica básica de propulsão); Sessão n.º 5 – 2h - Progressões pedagógicas; Sessão n.º 6 – 1h30 (prática na sala de aula) - Construção e análise de uma Unidade Didática; Sessão n.º 7 – 2h - Formas jogadas de abordagem da Canoagem Sessão n.º 8 – 2h - Iniciação ao Kayak de competição; Sessão n.º 9 – 2h - Exercícios de equilíbrio, posição base e técnica de pagaiada; Sessão n.º 10 – 2h - Recolha e análise de vídeo; Sessão n.º 11 – 2h - O Slalom, o Kayak Polo e as Embarcações de Equipa; Sessão n.º 12 – 2h (prática sala de aula com recurso a Software) - Construção e análise de um macrociclo de treino

Metodologias

A Formação terá uma carga horária total de 25 horas, das quais 8h serão teóricas, 5h30 teórico-práticas e 12h30 exclusivamente práticas. As aulas estão organizadas em blocos de 90 ou de 120 minutos. Nas aulas teóricas, será dada a formação teórica de base, fundamental para a compreensão e aplicação prática dos conteúdos inerentes à iniciação e prática da modalidade. As aulas teórico-práticas serão dedicadas à familiarização com vários tipo de software que servem de apoio ao desenvolver da prática diária junto dos alunos/atletas. As aulas práticas terão como objetivo fundamental transmitir os conteúdos inerentes à iniciação da Canoagem, passando pela vivência prática dos vários de alguns desses conteúdos e exercícios.

Avaliação

Parâmetros em avaliação: A) Participação na ação (contributos; intervenção nas sessões). B) Trabalhos/produtos desenvolvidos (observação de práticas; portefólio de exercícios; plano de trabalho individual; Aplicação de competências ao contexto - plano de intervenção; avaliação de práticas e materiais de apoio; (re)construção de unidades didáticas). C) Reflexão individual sobre o percurso formativo desenvolvido. A Classificação de cada formando será realizada por níveis de desempenho na escala de 1 a 10.

Bibliografia

- Federação Portuguesa de Canoagem. Manual do Monitor de Canoagem. Porto. - Federação Portuguesa de Canoagem (2008). Metodologia do Treino Desportivo na Canoagem – do planeamento à execução. Porto. - Szanto & Henderson (2004). ICF Flatwater Coach Manual, Level 1 – Canoe & Kayak. Internacional Canoe Federation. Madrid.

Anexo(s)


Observações

MUITO IMPORTANTE: SERÁ DADA PRIORIDADE AOS DOCENTES QUE EXERÇAM FUNÇÕES NOS AE/ENA ASSOCIADOS DO CFAE dos grupos 260 e 620 e aos professores do AE Rafael Bordalo Pinheiro (Centro Náutico) que colaboram no desenvolvimento do curso. A Calendarização poderá vir a ser ajustada, em função do serviço distribuído nos AE, pelos senhores Diretores. No inicio do ano Escolar 2024/2025, os docentes que realizarem a pré-inscrição terão que ter este aspeto em consideração, devendo para tal dialogar com os senhores Diretores(as) para aferir a compatibilidade entre as horas de formação "obrigatórias2/3" e o serviço distribuído na Escola.

MUITO IMPORTANTE: A Calendarização poderá vir a ser ajustada, em função do serviço distribuído nos AE, pelos senhores Diretores. No inicio do ano Escolar 2024/2025, os docentes que realizarem a pré-inscrição terão que ter este aspeto em consideração, devendo para tal dialogar com os senhores Diretores(as) para aferir a compatibilidade entre as horas de formação "obrigatórias2/3" e o serviço distribuído na Escola. Será dada prioridade aos docentes dos grupos 260 e 620 que exerçam funções nos AE/ENA associados do CFAE.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-09-2024 (Quarta-feira) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
2 04-09-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 05-09-2024 (Quinta-feira) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
4 05-09-2024 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
5 11-09-2024 (Quarta-feira) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
6 11-09-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
7 12-09-2024 (Quinta-feira) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
8 12-09-2024 (Quinta-feira) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 232T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-125958/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-06-2024

Fim: 05-07-2024

Regime: b-learning

Local: ESDICA/ONLINE

Formador

Andrea Isabel Pereira César Osório

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O recurso a plataformas de suporte ao ensino não presencial, que podem servir como meio de divulgação, partilha de conteúdos pedagógicos, de interação entre os utilizadores, tem vindo a ser cada mais frequente por parte dos diferentes agentes educativos. Contudo, a sua utilização implica a recolha e o tratamento de um conjunto alargado de informação relativa aos utilizadores, devendo garantir-se a proteção desses mesmos utilizadores. Com esta ação, pretende-se que os formandos implementem junto da comunidade educativa projetos de intervenção, cujo objetivo é a sensibilização para as questões relativas à Proteção de Dados e à Cibersegurança na escola refletindo acerca da integração curricular e transversalidade destas temáticas.

Objetivos

Desenvolver práticas de referência respeitantes a proteção de dados, designadamente abstendo-se de tratar dados pessoais que não sejam essenciais para a finalidade pedagógica e adotando comportamentos responsáveis, quando se tem acesso a dados pessoais de alunos, professores e outros titulares dos dados; Criar espaços de reflexão que proporcionem a exploração de recursos e ferramentas, bem como a conceção de planos de intervenção, que abordem estas temáticas em contexto educativo; Articular as temáticas propostas com as Orientações Curriculares TIC para o 1.º Ciclo, no domínio da Cidadania Digital com as Aprendizagens Essenciais da disciplina TIC, no domínio da Segurança, Responsabilidade e Respeito em Ambientes Digitais, assim como com a ENEC, nomeadamente nos domínios Segurança, Defesa e Paz e Media; Debater estratégias de sensibilização junto dos alunos para a importância da Cidadania Digital, destacando as áreas da Cibersegurança e da Proteção de Dados.

Conteúdos

Módulo 1: Proteção de dados em contexto escolar (4horas – 3 horas presenciais+1 hora assíncrona) Reflexão e análise de documentação de referência; Desenvolver práticas relativas à proteção de dados na escola. Módulo 2: A Cibersegurança na Escola (3 horas –2 horas síncronas+1hora assíncrona) As plataformas digitais e as recomendações de segurança; Desenvolver práticas relativas à Cibersegurança na escola. Módulo 3: Iniciativas promotoras da Proteção de Dados e da Cibersegurança nas Escolas:(8horas - 3 horaspresenciais+3horas síncronas+2 horas assíncronas) Iniciativas e campanhas do Centro de Sensibilização SeguraNet; Iniciativas e campanhas do Centro Nacional de Cibersegurança; O Selo de Segurança Digital; A integração curricular e transversalidade das temáticas. Módulo 4: Desenvolvimento de projetos de Cibersegurança e de proteção de dados (5 horas - 3horas síncronas+2horasassíncronas) Análise de projetos existentes no âmbito da Cibersegurança e de proteção de dados; Conceção de projetos adequados à realidade da comunidade educativa de cada formando. Módulo 5: Avaliação e reflexão (5horas - 3 horas presenciais+2 assíncronas) Apresentação, partilha e reflexão dos planos desenvolvidos pelos formandos durante o curso.

Metodologias

Sessões: O curso irá decorrer na modalidade de b-Learning com sessões presenciais, síncronas e assíncronas, com a seguinte distribuição: 9 horas presenciais, 8h síncronas e 8h assíncronas. O formador irá recorrer a plataformas Moodle e de videoconferência para dinamizar as sessões. As sessões serão de caráter teórico-prático, baseadas em metodologias essencialmente ativas, com recurso às seguintes técnicas pedagógicas: exposição, brainstorming, reflexão em grupo, seleção e análise das ideias.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final elaborado pelos formandos.

Modelo

Formação a Distância Demonstração das vantagens para os/as formandos/as no recurso ao regime de formação a distância A acessibilidade total e integral ao conhecimento é uma das principais vantagens apontadas à formação a distância. Uma vez que esta representa uma mais-valia para a realização de momentos de trabalho em conjunto, quebrando a barreira da distância e permitindo a exploração, partilha e comunicação com recurso a plataformas online, permitindo ao formando criar o seu próprio ritmo de aprendizagem. Considera-se pertinente, ainda, referir que esta tipologia de formação permite compatibilizar melhor a aprendizagem com a atividade profissional, uma vez que permite obter uma economia significativa de tempo e de deslocações. Distribuição de horas: 9 Nº de horas online síncrono: 8 Nº de horas online assíncrono: 8 Demonstração da existência de uma equipa técnico-pedagógica que assegure o manuseamento das ferramentas e procedimentos do formação a distância A formação será dinamizada por uma equipa de formadores acreditados na área das tecnologias na educação, detentores de vasta experiência em formação no regime a distância, bem como na configuração e manuseamento de sistemas deformação a distância. Demonstração da implementação de um Sistema de Gestão da Aprendizagem / Learning Management System adequado Será utilizada a plataforma moodle da Direção-Geral da Educação (DGE), para a disponibilização e partilha de recursos e para a realização de atividades por parte dos formandos. As ações de formação dinamizadas neste LMS têm o suporte de técnicos e especialistas da DGE. De igual modo, para as sessões síncronas, tirar-se-á partido da plataforma ZOOM, igualmente sob utilização deste organismo. Demonstração da avaliação presencial (permitida a avaliação em videoconferência) O registo de assiduidade nas sessões assíncronas será realizado na plataforma moodle. Nas sessões síncronas a assiduidade será comprovada pelo acesso e permanência nas salas zoom criadas para o efeito. A avaliação será suportada pela submissão na plataforma moodle de um trabalho final. (acompanhado por declaração de autenticidade e legitimidade da autoria).

Bibliografia

- Centro Nacional de Cibersegurança. Disponível em: https://www.cncs.gov.pt. - Comissão Nacional de Proteção de Dados. Disponível em: https://www.cnpd.pt. - SeguraNet – Navegar em Segurança. Disponível em: http://www.seguranet.pt - Rede europeia de Centros Internet Segura – Insafe. Disponível em: https://youth.betterinternetforkids.eu/web/portal/home. - Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência. Disponível em: https://www.dgeec.mec.pt/np4/home.

Anexo(s)

Acreditação_Proteção de dados e a Cibersegurança nas Escolas


Observações

As datas são indicativas, serão ajustadas em função das inscrições.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-06-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
2 13-06-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 20:15 2:00 Online síncrona
3 13-06-2024 (Quinta-feira) 20:15 - 21:15 1:00 Online assíncrona
4 17-06-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
5 19-06-2024 (Quarta-feira) 18:15 - 19:15 1:00 Online assíncrona
6 20-06-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 20:15 2:00 Online assíncrona
7 24-06-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 27-06-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 20:15 2:00 Online assíncrona
9 01-07-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
10 04-07-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 20:15 2:00 Online assíncrona
11 08-07-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial

Ref. 222T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-124392/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 27-05-2024

Fim: 26-06-2024

Regime: e-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e Professores Bibliotecários

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e Professores Bibliotecários. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e Professores Bibliotecários.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A Inteligência Artificial (IA) está cada vez mais presente nas nossas vidas, tornando-se uma componente fundamental da sociedade atual. À medida que a IA evolui, surgem questões éticas e morais sobre como essa tecnologia deve ser usada e quais são seus possíveis impactos na sociedade. Ao adotar a IA na educação, é fundamental considerar essas questões éticas e garantir que os sistemas de IA sejam projetados e implementados com responsabilidade, transparência e equidade, com o objetivo de melhorar a aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos. Com esta ação, pretende-se que os formandos desenvolvam propostas de atividades, cujo objetivo é capacitar a comunidade escolar, em especial as crianças e os jovens, para o uso ético das aplicações suportadas por IA numa perspetiva de integração curricular e transversalidade destas ferramentas.

Objetivos

Conhecer alguns dos conceitos sobre IA; Identificar diferentes tipos de IA; Conhecer diferentes aplicações generativas suportadas por IA (texto, imagem, música, vídeo, outras); Debater e refletir sobre os aspetos da IA e a Ética em contexto educativo; Identificar os grandes inconvenientes da IA; Desenvolver propostas de atividades, cujo objetivo é capacitar a comunidade escolar, em especial as crianças e os jovens, para o uso ético das aplicações suportadas por IA numa perspetiva de integração curricular e transversalidade destas temáticas.

Conteúdos

Módulo 1 | Introdução à IA (5 horas – 3 horas síncronas + 2 horas assíncronas) 1.1 Definição e história da IA 1.2 Conceitos sobre IA 1.3 Exploração dos diferentes tipos de IA Módulo 2 | Aplicações Generativas suportadas por IA (5 horas – 3 horas síncronas + 2 horas assíncronas) 2.1 O que são aplicações generativas suportadas por IA? 2.2 Exemplos de aplicações generativas suportadas por IA (texto, imagem, música, vídeo, outras). 2.3 Exploração de ferramentas IA generativas em contexto educativo. Módulo 3 | IA e a Ética (5 horas – 3 horas síncronas + 2 horas assíncronas) 3.1 Introdução à Ética da IA: Exploração dos princípios éticos e morais envolvidos no desenvolvimento, implementação e uso da IA. 3.2 Quais os grandes inconvenientes da IA? 3.3 Recomendações para o seu uso em contexto educativo. Módulo 4 | Projeto Educativo envolvendo IA generativa (5 horas - 3 síncronas + 2 horas assíncronas) 4.1 Definição de objetivos do projeto educativo de IA generativa e escolha do domínio criativo. 4.2 Experimentação e iteração com a(s) ferramenta(s). 4.3 Reflexão ética e social. Módulo 5 |Avaliação e Reflexão (5 horas – 3 horas síncronas + 2 horas assíncronas) 5.1. Apresentação, partilha e reflexão sobre as propostas de planos de intervenção desenvolvidos pelos formandos.

Metodologias

O curso irá decorrer na modalidade de e-Learning com 15h síncronas e 10h assíncronas. O formador irá recorrer a plataformas LMS (Moodle) e de videoconferência (Zoom) para dinamizar as sessões/planificar atividades, tendo em vista a sua aplicação com crianças e jovens em contexto educativo, utilizando os conteúdos explorados nas sessões, refletindo sobre a importância da integração curricular e da transversalidade destas temáticas. Atividades teóricas: ensino dirigido/semi-dirigido (discussão de conceitos, resultados de investigação e experiências de terreno); atividades dirigidas de leitura/reflexão; discussão. Atividades práticas: aprendizagem experiencial (no terreno, o que é abordado na ação, reflexão permanente ao longo do processo); aprendizagem cooperativa (contacto entre grupos, acompanhamento por parte do formador e apresentação, pelos formandos, do trabalho desenvolvido).

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10, conforme indicado no Despacho n.o 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Tendo por base a participação/contributos bem com como a elaboração de um trabalho final de cada um dos formandos.

Modelo

Questionário de satisfação, aplicado no final da Formação. Seis meses após o términus, aplicação do questionário do Impacte da Formação

Bibliografia

- Supporting global cooperation on artificial intelligence, United Nations: https://www.un.org/techenvoy/content/artificial-intelligence. - Artificial Intelligence and Education, A critical view through the lens of human rights, democracy and the rule of law, Council of Europe: https://rm.coe.int/prems-092922-gbr-2517-ai-and-education-txt-16x24-web/1680a956e3. - Orientações Éticas para Educadores sobre a utilização de Inteligência Artificial (IA) e de Dados no Ensino e na Aprendizagem, Comissão Europeia: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/d81a0d54-5348-11ed-92ed-01aa75ed71a1/language-en. - Artificial Intelligence and the future of education, European Commission: https://ec.europa.eu/commission/presscorner/detail/en/ip_22_6338. - Beijing Consensus on Artificial Intelligence and Education, UNESCO: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000368303.

Anexo(s)

Certificado


Observações

Critérios de seleção: 1. Docentes associados do CFAECAN - que necessitem, ainda este ano letivo, de horas de formação para a progressão na carreira; - docentes que ainda não tenham frequentado formação na área da Inteligência Artificial - restantes docentes associados do CFAECAN. 2. Em caso de vaga, podem ser admitidos docentes não associados.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 29-05-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
3 03-06-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 05-06-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
5 12-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 13-06-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
7 19-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 20-06-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
9 24-06-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
10 26-06-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona

Não existem ações.

Ref. 230ACD25T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 25T1-23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 29-05-2024

Fim: 29-05-2024

Regime: Presencial

Local: Armazém das Artes, Alcobaça

Formador

Sofia Cláudia Edra Tavares Quaresma

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, IP (ICNF, IP)/Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, em parceria com CFAE dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A criação do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, PNSAC, pelo Decreto-Lei n.º 118/79, de 4 de maio, foi sinónimo de reconhecimento do valor desta área, conforme é referido no preâmbulo deste decreto, onde refere que as serras de Aire e dos Candeeiros devem ser protegidas pelo facto de, além do seu “…interesse paisagístico…”, “…conservarem muitos valores naturais e terem ainda um riquíssimo património arquitetónico e cultural ligado às populações que ali habitam.” O Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, IP (ICNF, IP) realizará no próximo dia 29 de Maio, um Fórum comemorativo dos 45.º Aniversário do PNSAC. Considerando os currículos de Ciências Naturais, mas também de Biologia e de Geologia, e tendo em conta a presença de dezenas de estabelecimentos de ensino nesta área protegida, este Fórum visa divulgar alguns dos estudos, trabalhos e projetos que têm sido desenvolvidos na área protegida. Estarão reunidas várias personalidades para apresentarem e partilharem a informação referente aos seus trabalhos. A sensibilização e informação sobre os valores naturais do PNSAC será transversal a todas as apresentações; neste contexto, considera-se que os docentes assumem um papel de destaque junto dos jovens, mas também no seio da comunidade de encarregados de educação e da comunidade em geral. Será também uma oportunidade para estabelecer algumas parcerias e sinergias entre os vários grupos a trabalhar no PNSAC, otimizando recursos e resultados e alavancando a visitação com aprendizagens in loco.

Objetivos

• divulgar alguns dos estudos, trabalhos e projetos que têm sido desenvolvidos na área protegida • sensibilizar sobre os valores naturais do PNSAC será transversal a todas as apresentações • promover a Bio e Geodiversidade do PNSAC, valores naturais ímpares no contexto nacional • promover parcerias e sinergias entre os vários grupos a trabalhar no PNSAC, otimizando recursos e resultados • alavancar a visitação ao PNSAC com aprendizagens in loco

Conteúdos

Início da ACD: 14:00h, no Armazém das Artes A ação compreende dois painéis, com as seguintes palestras/oradores : BIODIVERSIDADE DO PNSAC Carla S. Santos| CM Caldas da Rainha - “Importância evolutiva e conservação da ictiofauna dulciaquícola do PNSAC”. Luís António| DRCNF LVT - “A Fauna do PNSAC” Ana Sofia Reboleira| FC UL - “Contribuição dos estudos em fauna cavernícola do PNSAC para a ciência, para a identidade do território e para a sustentabilidade”. João Farminhão| Jardim Botânico da Universidade de Coimbra & Centro de Ecologia Funcional - “Singularidades da flora do Maciço Calcário Estremenho”. António Frazão e Francisco Barros| DRCNF LVT - “Valorização de habitats para a biodiversidade na recuperação de pedreiras no PNSAC”. GEODIVERSIDADE DO PNSAC Mário Cachão| FC UL - “Há calcários... e há calcários (a importância da geodiversidade dos calcários) Lúcio Cunha| FL UC - “Inventariação do património cársico no PNSAC”. Cátia Leal| FL UC - “O valor patrimonial da escarpa dos Arrifes”. Olímpio Martins e Maria João Martins| DRCNF LVT - “Na companhia das grutas.”

Metodologias

A certificação está dependente do cumprimento integral das horas da ação.

Avaliação

Para obter certificação os formandos devem assistir a todas as palestras da Ação de Curta Duração.

Modelo

Questionário de avaliação a preencher pelos formandos (Google Forms).

Bibliografia

https://www.icnf.pt/conservacao/rnapareasprotegidas/parquesnaturais/pnserrasdeaireecandeeiros https://natural.pt/protected-areas/parque-natural-serras-aire-candeeiros?locale=pt


Observações

Início da ACD: 14:00h, no Armazém das Artes A ação compreende dois painéis, com as seguintes palestras/oradores : BIODIVERSIDADE DO PNSAC Carla S. Santos| CM Caldas da Rainha - “Importância evolutiva e conservação da ictiofauna dulciaquícola do PNSAC”. Luís António| DRCNF LVT - “A Fauna do PNSAC” Ana Sofia Reboleira| FC UL - “Contribuição dos estudos em fauna cavernícola do PNSAC para a ciência, para a identidade do território e para a sustentabilidade”. João Farminhão| Jardim Botânico da Universidade de Coimbra & Centro de Ecologia Funcional - “Singularidades da flora do Maciço Calcário Estremenho”. António Frazão e Francisco Barros| DRCNF LVT - “Valorização de habitats para a biodiversidade na recuperação de pedreiras no PNSAC”. GEODIVERSIDADE DO PNSAC Mário Cachão| FC UL - “Há calcários... e há calcários (a importância da geodiversidade dos calcários) Lúcio Cunha| FL UC - “Inventariação do património cársico no PNSAC”. Cátia Leal| FL UC - “O valor patrimonial da escarpa dos Arrifes”. Olímpio Martins e Maria João Martins| DRCNF LVT - “Na companhia das grutas.”

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-05-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 226ACD23_23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD23T1-2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 14-05-2024

Fim: 14-05-2024

Regime: Presencial

Local: Sala de Formação CFAECAN

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de Infância, Professores o 1º ciclo e Professores da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A garantia de uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade requer da parte dos professores a adoção de modelos pedagógicos e estratégias de ensino e de aprendizagem que respondam efetivamente à diversidade de todos os alunos. A dinamização da ACD “Metodologias ativas: novas práticas pedagógicas” assume-se como uma oportunidade de excelência para a partilha de práticas de sucesso e de reflexão conjunta entre professores tendo em vista a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagem dos alunos.

Objetivos

Metodologias ativas: novas práticas pedagógicas • Reconhecer a necessidade de aprender de outras formas • Desenvolver uma pedagogia ativa para favorecer a aprendizagem e a aquisição de competências essenciais para enfrentar os desafios da vida real.

Conteúdos

1. Nova geração no centro desta inovação pedagógica; 2. Organização do espaço de sala de aula (materiais e áreas de trabalho;) 3. Momentos de aprendizagem: trabalho coletivo, trabalho a pares, trabalho individual; 4. Materiais de diferenciação para implementar a autonomia dos alunos: Plano de trabalho Ateliers Centros de autonomia Escada de autonomia Assembleia de turma 5. Gestão do ambiente de trabalho; 6. Experiências práticas: (Português/ Matemática/Estudo do Meio/Arte).

Metodologias

Partilha de metodologias e estratégias desenvolvidas em sala de aula para dar resposta à diversidade de alunos em sala de aula.

Avaliação

A certificação está dependente do cumprimento integral das horas da ação.

Modelo

Preenchimento de um formulário no final da ação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 212ACD14T2_23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 14 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 07-05-2024

Fim: 21-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A Direção-Geral da Educação disponibiliza um conjunto de ações de formação que permitem apoiar os professores e as escolas na criação de cenários inovadores de ensino e de aprendizagem, promovendo a sua utilização prática e reflexão crítica sobre os resultados e as possibilidades destas intervenções nos seus contextos educativos. A conceção de um cenário inovador pode ajudar a criar uma resposta aos novos desafios que se colocam à educação, à escola e aos professores do século XXI, de modo que todos os alunos alcancem as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Pretende-se a construção de ambientes educativos aliciantes, com o uso da tecnologia, que privilegiam a ação do aluno, favorecendo a motivação, a criatividade e o envolvimento do aluno na construção individual ou coletiva do conhecimento, indo ao encontro de uma educação inclusiva “enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento da participação nos processos de aprendizagem ena vida da comunidade educativa” (Decreto-Lei nº 54/2018, de 6 de julho). Estes cenários podem ser integrados em contexto curricular das disciplinas, em contextos de trabalho interdisciplinar e/ou de articulação curricular, nomeadamente em Domínios de Autonomia Curricular, tendo por referência o Decreto-Lei nº55/2018, de 6 de julho, que regulamenta a implementação da “Autonomia e Flexibilidade Curricular” nas escolas.

Objetivos

Compreender a pertinência do desenvolvimento de atividades de aprendizagem ativa no contexto educativo atual; Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Conteúdos

Conceito de aprendizagem ativa; Métodos e estratégias de aprendizagem ativa; Exemplos práticos de aprendizagem ativa.

Modelo

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD. No final da sessão os formandos deverão preencher um inquérito de satisfação.


Observações

As datas de começo e término são indicativas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 234ACD 24T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 24 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 24-04-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas da Benedita

Formador

Marco António Moniz de Lemos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas da Benedita e Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A ação enquadra-se no Plano de Ação para a Transição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu. Esta ação está inserida no Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) do Agrupamento de Escolas da Benedita.

Objetivos

Capacitar os docentes para a utilização consciente de ferramentas digitais como auxiliares na gestão das atividades de sala de aula com recurso aos kits digitais; Consciencializar para a utilização de Plataformas na criação de instrumentos de avaliação; Contribuir para a utilização de metodologias de avaliação formativa e sumativa através da construção de vários tipos de itens autocorretivos e rubricas;

Conteúdos

Criação de grupos de trabalho; Criação de exercícios (Resposta curta, ordenação, conectores, associação, …); Criação de Testes; Criação de rubricas; Publicação de testes – agendamento;

Modelo

Formulário.


Observações

Bibliografia: Comissão Europeia/EACEA/Eurydice. (2019). A Educação Digital nas Escolas da Europa. https://doi.org/10.2797/393325 Couto, Z. K. (2017). O uso de Recursos Educacionais Digitais na Educação Básica (REDEB): relato de experiência. Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027). https://education.ec.europa.eu/pt-pt/focus- topics/digital-education/digital-education-action-plan

Mestre Marco António Moniz de Lemos


Ref. 225ACD22T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD22T1-2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 16-04-2024

Fim: 16-04-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Luísa Maria Picado da Naia Sardo

Destinatários

Docentes do AE São Martinho do Porto e Professores do Ensino Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto e Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

Esta ACD visa capacitar os docentes para o desenvolvimento de competências de regulação emocional que contribuam para estilos de vida mentalmente mais equilibrados nos alunos.

Objetivos

-Promover a saúde mental nas escolas e prevenir comportamentos de risco. -Aumentar a consciência da ocorrência de doenças e da necessidade de estar alerta e entender os primeiros sinais e sintomas de doença mental. -Promover estratégias de regulação emocional.

Conteúdos

Realização de Workshop psicoeducativo para docentes, que compreende a realização de sessão de sensibilização em grupo com vista consciencialização sobre o bem-estar mental e a necessidade de estar para entender os primeiros sinais e sintomas (dinamizado por psicólogo da EPIS formando na metodologia pela Universidade Coimbra)

Metodologias

-Participação nas dinâmicas do Workshop.

Modelo

-Questionário de avaliação a preencher pelos formandos através do formulário google forms.


Observações

Mestre Luísa Maria Picado da Naia Sardo, com a colaboração de Érica Santos (EPIS)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 204B3T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122254/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas (12.5 horas presenciais + 12.5 horas de trabalho autónomo)

Início: 11-04-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister/Online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/EnA Associadas

Enquadramento

Esta ação engloba metodologias inicialmente expositivas, mas com vista ao posterior desenvolvimento de trabalho prático e colaborativo, de forma a que os formandos contactem com os objetivos das competências digitais para educadores, definidas pela União Europeia (European Framework for lhe Digital Competence of Educators) no que diz respeito em particular à Área da Avaliação e as integrem nos documentos normativos portugueses. Deverão os formandos, em primeiro lugar, compreender as diferentes dimensões de avaliação através das tecnologias digitais e conhecer estratégias que, recorrendo a essas mesmas tecnologias, potenciem o processo avaliativo e o possam promover de forma inovadora, indo ao encontro do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho. De seguida a ação contempla o desenvolvimento de trabalho prático, individual e de grupo, para a concepção de materiais adequados a avaliação formativa, monitorização, feedback aos estudantes e sumativa. No período que a Educação atravessa e onde o uso do digital se revelou de suma importância para a continuidade do processo de ensino e de aprendizagem, entende-se que o desenvolvimento de competências digitais transversais e, neste caso, em particular no que diz respeito à avaliação, assumem particular importância para se conseguir, doravante, que o digital e o presencial se articulem numa formação de carácter híbrido e onde os mundos online e offline colaboram para potenciar o ato de formar.

Objetivos

Pretende-se que os professores sejam capazes de: - conhecer métodos e estratégias digitais para desenvolvimento da avaliação em contexto educativo; - desenvolver competências ao nível do uso de tecnologias digitais para avaliação formativa e sumativa através de recursos diversificados e inovadores; - preparar recursos digitais que permitam a análise de evidências das competências dos estudantes bem como o feedback sobre essas evidências; - identificar recursos e estratégias que fazem uso do digital para adaptar as estratégias de ensino às necessidades dos estudantes; - identificar estratégias e recursos que fazem uso do digital para que os estudantes façam uso do feedback para estruturar o desenvolvimento das suas aprendizagens.

Conteúdos

A ação desenvolve-se em torno de três domínios específicos: - estratégias de avaliação; - análise de evidências; - planeamento e feedback. Estes três domínios integram o quadro referencial European Framework for lhe Digital Competence of Educators, e em conjunto visam o trabalho com tecnologias digitais de forma a criar um todo que recorre a diferentes evidências do trabalho com os estudantes para os orientar, guiar a auxiliar na construção dos seus conhecimentos. Num primeiro momento, serão apresentados os documentos orientadores e analisados pelos formandos, de forma a identificar as componentes específicas que compõem a Área da Avaliação. Num segundo momento serão apresentados diferentes recursos digitais, as suas características e funcionalidades específicas e de que forma podem ser utilizados em diferentes momentos do processo de monitorização e avaliação dos estudantes. Um terceiro momento da formação visa permitir aos docentes que trabalhem com as ferramentas apresentadas, de forma individual e/ou em grupo, para tomarem contacto com as suas potencialidades e compreenderem de que modo se podem apropriar delas para as suas experiências e necessidades individuais. Finalmente os formandos devem preparar um trabalho final que contemple diferentes etapas do processo de avaliação. Módulo 1 - Enquadramento e documentos orientadores - Apresentação dos documentos orientadores: - Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Decreto-Lei n.0 55/2018, de 6 de julho; - DigCompEdu - Quadro de referência para as competências Digitais dos Educadores; - Definição de um perfil de competências na área da Avaliação com recursos digitais. Módulo 2 - Estratégias de planeamento, análise de evidências, avaliação e feedback - Recursos e Tecnologias digitais para avaliação formativa e sumativa; - Cenários de avaliação que recorrem a instrumentos digitais para monitorização, acompanhamento e feedback; -Adequação de recursos de avaliação e acompanhamento à luz da educação inclusiva. Módulo 3 - Planificação de estratégias digitais de avaliação - Planificação e desenho de um projeto de avaliação a partir de recursos digitais (avaliação formativa e acompanhamento, avaliação sumativa e feedback); - Implementação do projeto desenhado em contexto educativo. Módulo 4 -Apresentação de trabalhos - Apresentação dos trabalhos realizados; - Discussão e conclusões da Ação.

Metodologias

O trabalho presencial (9h) e online (3,5h) centra-se numa metodologia expositiva e de debate para apresentação e análise dos conteúdos teóricos da ação, preparação do trabalho a colocar em prática em contexto educativo e respetiva avaliação. O trabalho autónomo (12,5h) dos formandos será desenvolvido a partir de metodologias de trabalho individual e de grupo, de reflexão e descoberta, interação e trabalho de campo, pretendendo-se que os formandos contactem de forma prática com as ferramentas, se apropriem delas para desenhar o seu projeto e aplicar em contexto educativo. Os formandos deverão depois analisar e refletir sobre os resultados obtidos aquando da aplicação prática do projeto, aprender com a sua experiência e debater com os seus colegas os resultados obtidos na última sessão presencial.

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados utilizando a escala de 1 a 10 valores, conforme estipulado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetros de avaliação estabelecidos pela DGE e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação contínua do desempenho dos/as formandos/as terá por base o trabalho realizado nas sessões presenciais, assim como na componente de trabalho autónomo, em função das atividades realizadas com os/as alunos/as, ao nível da sala de aula e/ou de outros contextos das práticas pedagógicas dos/as formandos/as. Na parte final da ação, haverá também uma avaliação dos/as formandos/as tendo por objeto a apresentação dos trabalhos da componente autónoma, bem como o relatório individual.

Bibliografia

Dias-Trindade, S. & Ferreira, A. G. (2020). Digital teaching skills: DigCompEdu Checkln as an evolution process from literacy to digital fluency. ICONO14. 18(2). Dias-Trindade, S.; Mill, D. (orgs.) (2019). Educação e Humanidades Digitais: aprendizagens, tecnologias e cibercultura. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. ISBN: 978-989-26-1771-8. DOI: https://doi.org/10.14195/978-989-26- 1772-5 EU SCIENCE HUB (2017). Learning and Skills for lhe Digital Era. Disponível em URL: https://ec.europa.eu/jrc/en/research­ topic/learningand-skills. Acesso em 15 novembro 2019. Ranieri, M., Bruni, 1., & Xivry, A. C. O. (2017). Teachers' Professional Development on Digital and Media Literacy. Findings and recommendations from a European project. REM - Research on Education and Media. 10(2), 10-19. Redecker, C. European Framework for lhe Digital Competence of Educators: DigCompEdu. Punie, Y. (ed). EUR 28775 EN. Publications Office ofthe European Union, Luxembourg, 2017, ISBN 978-92-79-73494-6, doi:10.2760/159770, JRC107466

Anexo(s)

Estratégias de monitorização e avaliação através de recursos e métodos digitais


Observações

As datas de início e término são indicativas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 12-04-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online assíncrona
3 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
4 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 213ACD17T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 17 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 27-03-2024

Fim: 27-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - Alcobaça (AE Cister)

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Docentes do 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Cister

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Cister e CFAE dos Concelhos de Alcobaça

Enquadramento

A presente ação de formação tem como objetivo a apresentação do trabalho desenvolvido no círculo de estudos "Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica: desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção" pelo grupo de docentes do 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Cister que o frequentou.

Objetivos

Desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. Partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento da Avaliação Pedagógica no AE de Cister (docentes do 1.º ciclo).

Conteúdos

Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação. Estratégias e Metodologias de Aprendizagem Ativa. Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica.

Metodologias

Manhã: dinamização de 4 sessões de trabalho para apresentação de diversas metodologias de aprendizagem ativa. Tarde: enquadramento teórico sobre Avaliação pedagógica, síntese do trabalho realizado no círculo de estudos, partilha de práticas no âmbito da Avaliação Pedagógica, reflexão e debate entre os professores do 1.º ciclo do AE de Cister.

Avaliação

Os formandos devem frequentar integralmente a ação de formação para terem direito a certificação.

Modelo

Para terem direito a certificação os formandos terão de frequentar a totalidade das horas da ação de formação. Os formandos preencherão um questionário de satisfação da formação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-03-2024 (Quarta-feira) 09:30 - 13:00 3:30 Presencial
2 27-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:00 2:30 Presencial

Ref. 203B5T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121452/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas (12.5 horas presenciais + 12.5 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-03-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Professores de Educação especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Professores de Educação especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Professores de Educação especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Esta oficina de formação a desenvolver no contexto dos Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE)dos AE/ENA. A utilização da tecnologia em processos educativos tornou-se uma necessidade cada vez mais evidente, sendo necessário um investimento contínuo em metodologias mais eficientes de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, as ferramentas do Google apresentam-se como uma opção acessível, prática e eficaz para professores e alunos, permitindo a realização de tarefas colaborativas, organização de conteúdo, comunicação, entre outras possibilidades. O Google Workspace for Education (GWfE) é uma plataforma digital com inúmeras ferramentas educativas, baseadas em cloud computing e indicadas para todos os níveis de ensino. Apesar desta plataforma ser utilizada pela grande maioria dos agentes educativos, raramente se utilizam todas as suas potencialidades e ferramentas disponíveis.

Objetivos

Contribuir para que a utilização pedagógica das TIC se integre efetivamente no processo de ensino e aprendizagem, estimulando o trabalho colaborativo e contribuindo para responder às necessidades individuais dos alunos; Contribuir para o desenvolvimento das competências dos professores em relação à utilização da Plataforma GWfE; Construir e validar um Modelo de Aprendizagem, com recurso às ferramentas disponibilizadas pela plataforma GWfE, tendo em vista o desenvolvimento das capacidades dos professores para apoio aos alunos (em sala de aula e a distância); Desenvolver a criação de uma atitude colaborativa através da comunicação e da partilha de recursos e práticas; Capacitar os professores para atuarem eficazmente com as tecnologias e de revelarem capacidade de aprofundar e desenvolver as suas competências neste domínio; Incentivar a utilização de todas as potencialidade GWfE.

Conteúdos

1. CONHECER AS APPS GWfE 1.1. COLABORAÇÃO: Drive (Compreender a utilização do Drive; instalar e utilizar a versão desktop; importar ou criar pastas, trabalhar com os ficheiros armazenados no Drive; gerir e partilhar ficheiros e/ou pastas; restaurar versões de ficheiros); Does (Editar e formatar documentos; inserir elementos (imagens, tabelas, links); trabalhar colaborativamente); lides (Editar, formatar e organizar apresentações; adicionar notas de orador; criar ou importar temas; construir uma apresentação dinâmica);Sheets (Criar e editar folhas de cálculo; utilizar tabelas dinâmicas; validar dados; utilizar filtros e funções); • Forms (Criar, disponibilizar e partilhar formulários; gerir o tratamento dos dados recolhidos); • Jamboard (Criar um projeto; conhecer e utilizar as ferramentas criativas). 1.2. PRODUTIVIDADE: • Classroom (Criar e gerir uma turma; organizar a turma Classroom com tópicos; criar uma sessão síncrona com o Google Meet e Gerir as sessões síncronas; criar, corrigir e enviar trabalhos, relatórios de trabalho, exercícios e outros documentos com os alunos/participantes; criar rubricas de avaliação); • Assigments (integrar a aplicação com o Google drive, Does e outras Apps Google; gerir a avaliação dos trabalhos dos alunos). 1.3. COMUNICAÇÃO: • Gmail (conhecer a Caixa de entrada do Gmail; cancelar o envio de e-mails; ler e responder e-mails off-line; criar modelos de e-mail; adiar e-mails ou lembretes até uma hora específica; enviar anexos muito grandes; criar eventos diretamente na caixa de entrada; criar várias assinaturas usando respostas automáticas; receber seus compromissos diários na Caixa de entrada (interação com o calendário); classificar e marcar automaticamente as mensagens recebidas usando filtros; responder a e-mails mais rapidamente com o recurso resposta inteligente; configurar respostas automáticas de "ausência temporária"; salvar anexos de e-mail no; priorizar mensagens importantes com a Caixa prioritária; criar listas de tarefas no Gmail); • Meet e Chat (conhecer as potencialidades das aplicações; aprender a configurar o Meet para o ensino à distância); 1.4. ORGANIZAÇÃO: Keep, Calendar e Tasks (Obter maior produtividade; aprender a organizar as suas atividades/tarefas pessoais e profissionais; definir tarefas e lembretes; criar listas de tarefas; organizar e planificar o trabalho); 1.5. SEGURANÇA: Admin (aprender a gerir as definições de segurança e privacidade Google).

Metodologias

Como metodologia de trabalho salienta-se a preocupação em promover uma ação de formação participada, valorizando na mesma, uma vertente de trabalho ativa, de experimentação, exploração e aplicação. As sessões presenciais são destinadas à exploração das ferramentas da Google e à reflexão sobre a articulação entre estas, o currículo e aprendizagem dos alunos; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na Escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos. Na componente de trabalho autónomo (12,5h entre sessões) -Implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Os formandos nas sessões presenciais apresentarão, os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o "Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 1O conforme indicado no Despacho n.0 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base: - Participação/contributos E realização das tarefas nas sessões (2.5 valores) 25% - Trabalho de aplicação de conteúdos e realização dos trabalhos e atividades propostos (6 valores) 60% - Relatório final/reflexão crítica (1.5 valores) 15%

Bibliografia

Comissão Europeia/EACEA/Eurydice. (2019). A Educação Digital nas Escolas da Europa. https://doi.org/10.2797/393325 Couto, Z. K. (2017). O uso de Recursos Educacionais Digitais na Educação Básica (REDEB): relato de experiência. Revista Práxis: Saberes Da Extensão, 5(9), 34. https://doi.org/10.18265/2318-23692017v5n9p34-39 Lewin, C. & McNicol, S. (2014). Criar a Sala de Aula do Futuro: conclusões do projeto iTEC. http://fcl.eun.org/itec Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Miranda, F. (3 de Janeiro de 2021). A história do Google: Como a gigante tecnológica nasceu. Obtido em 5 de Novembro de 2021, de socientifica.com.br: https://socientifica.com.br/a-historia-do-google-como-a-gigante-de-tecnologia-nasceu/ União Europeia. (2021). Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027). https://education.ec.europa.eu/pt-pUfocus­ topics/digital-education/digital-education-action-plan Tori, R. (2010). A presença das tecnologias interativas na educação, ReCet, Vol 11, no1, Revista de Computação e Tecnologia da PUC-SP acedida através de https://revistas.pucsp.br/ReCET/article/viewFile/3850/2514 em 31/07/2019.

Anexo(s)

Google Workspace na Educação_Capacitação Essencial para Educadores


Observações

As datas de começo e término são indicativas. A turma só abre com o mínimo de 12 participantes. Quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos selecionados serão notificados antecipadamente. Os docentes de escolas associadas ao CFAECAN terão prioridade na seleção.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-03-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
3 15-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
4 06-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
5 13-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 19:00 1:30 Presencial
6 23-05-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 18:00 1:00 Presencial

Ref. 157B6T8-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 14-03-2024

Fim: 23-05-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Isabel Maria Gomes Reis

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 21-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 30-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona

Ref. 157B6T7-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 20-05-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Isabel Maria Gomes Reis

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

As datas de começo e término são indicativas. A turma só abre com o mínimo de 12 participantes. Quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente. Os docentes das escolas associadas ao CFAECAN terão prioridade na seleção.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:30 3:15 Online síncrona
2 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
7 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:30 3:15 Online síncrona

Ref. 170B4T7-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116140/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 11-03-2024

Fim: 03-06-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister/Online

Formador

Andrea Isabel Pereira César Osório

José Carlos Vieira Bastos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Metodologias

Esta ação enquadra-se no Plano de Ação para a Tansição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu – Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, está desenhada para realização em regime a distância, tirando partido das vantagens deste regime de formação no contexto pandémico em que foi criada e visa a capacitação digital dos docentes - Nível 1 (B1 e B2 do DigCompEdu). Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
4 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
7 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
8 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial

Ref. 155B7T3-23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115692/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 07-03-2024

Fim: 16-05-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister/Online

Formador

Eliana Borges Henriques Vieira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias; No desenvolvimento do trabalho autónomopretende-se que os formandos apliqueminstrumentos e conhecimentos adquiridos, noâmbito da formação, em contexto escola/sala deaula, tendo presente o ciclo: avaliar o contexto,planear, aplicar, rever, ajustar. Trabalho autónomo (25h) Sessão 1 (presencial)- Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (5h) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 2 e 3 (on-line síncronas) - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (5h- 2 sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 4 e 5 (on-line síncronas) - Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 6 e 7 (on-line síncronas) - Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico - Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 8 (presencial)- Apresentação de relatórios individuais desenvolvidos durante o trabalho autónomo e reflexão critica sobre os mesmos(5H) Sessões presenciais conjuntas: 2 sessões – 10 horas: primeira sessão (5 h) e última sessão (5h – apresentação dos trabalhos finais da formação) Sessões online síncronas: 6 (15H- 2h30 cada sessão) Trabalho autónomo: 25 horas

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022

Anexo(s)

Criação de ambientes de aprendizagem inclusivos e inovadores


Observações

As datas de começo e término são indicativas. A turma só abre com o mínimo de 12 participantes. Quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos selecionados serão notificados antecipadamente. Os docentes de escolas associadas ao CFAECAN terão prioridade na seleção.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial
2 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 21-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
6 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 10-05-2024 (Sexta-feira) 16:15 - 19:15 3:00 Online síncrona
8 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial

Ref. 212ACD14T1_23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 14 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 06-03-2024

Fim: 10-04-2024

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A Direção-Geral da Educação disponibiliza um conjunto de ações de formação que permitem apoiar os professores e as escolas na criação de cenários inovadores de ensino e de aprendizagem, promovendo a sua utilização prática e reflexão crítica sobre os resultados e as possibilidades destas intervenções nos seus contextos educativos. A conceção de um cenário inovador pode ajudar a criar uma resposta aos novos desafios que se colocam à educação, à escola e aos professores do século XXI, de modo que todos os alunos alcancem as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Pretende-se a construção de ambientes educativos aliciantes, com o uso da tecnologia, que privilegiam a ação do aluno, favorecendo a motivação, a criatividade e o envolvimento do aluno na construção individual ou coletiva do conhecimento, indo ao encontro de uma educação inclusiva “enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento da participação nos processos de aprendizagem ena vida da comunidade educativa” (Decreto-Lei nº 54/2018, de 6 de julho). Estes cenários podem ser integrados em contexto curricular das disciplinas, em contextos de trabalho interdisciplinar e/ou de articulação curricular, nomeadamente em Domínios de Autonomia Curricular, tendo por referência o Decreto-Lei nº55/2018, de 6 de julho, que regulamenta a implementação da “Autonomia e Flexibilidade Curricular” nas escolas.

Objetivos

Compreender a pertinência do desenvolvimento de atividades de aprendizagem ativa no contexto educativo atual; Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Conteúdos

Conceito de aprendizagem ativa; Métodos e estratégias de aprendizagem ativa; Exemplos práticos de aprendizagem ativa.

Modelo

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD. No final da sessão os formandos deverão preencher um inquérito de satisfação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-03-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 10-04-2024 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 208ACD15T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD15 - 2023/2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A integração da inteligência artificial (IA) na educação representa um marco significativo no panorama educativo atual. A dinâmica entre tecnologia e educação tem como objetivo tornar o processo de ensino-aprendizagem mais personalizado e adaptado às necessidades individuais de alunos e professores. Não se limitando apenas à automação de tarefas rotineiras, a IA na educação tem o potencial de revolucionar o ensino, tornando-o mais eficiente, possibilitando uma maior otimização dos processos e proporcionando uma experiência educativa mais dinâmica, alinhada com as competências do século XXI. Contudo, é essencial considerar os desafios éticos e sociais associados à implementação da inteligência artificial na educação. Questões relacionadas com a privacidade dos dados, a equidade no acesso às tecnologias e a necessidade de manter a componente humana no processo educativo são elementos que requerem uma reflexão cuidadosa. A integração bem-sucedida da IA na educação deve ser orientada por princípios que assegurem a equidade, transparência e responsabilidade, garantindo que a tecnologia seja um instrumento eficaz para o desenvolvimento eficiente (e inteligente) do processo de ensino-aprendizagem.

Objetivos

• Sensibilizar para o potencial da IA na educação; • Compreender os fundamentos da IA; • Identificar aplicações práticas da IA no processo de Ensino-Aprendizagem; • Refletir sobre os desafios e oportunidades da IA na educação.

Conteúdos

Sessão 1: O Potencial da Inteligência Artificial na Educação (3 horas) • Introdução à Inteligência Artificial na Educação (30 minutos) • Aplicações Práticas: ChatGPT, Bard, IdeogramAI, MagicSchool,… (2 horas); • Reflexão sobre as práticas - implicações éticas e pedagógicas (30 minutos). Sessão 2: IA na Sala de Aula (3 horas) • IA em Ferramentas de Design: Canva e geradores de imagem (1 horas); • IA em Atividades Interativas: Quizizz (30 minutos); • A Avaliação com recurso à IA (30 minutos); • Bancos de Recursos IA (30 minutos); • Discussão e Encerramento (30 minutos)

Metodologias

Esta ação terá uma duração 6 horas, distribuídas por duas sessões de 3 horas cada. As sessões serão desenvolvidas em regime a distância. Os formandos terão oportunidade de trabalhar individualmente e/ou em grupo, em ligação com os contextos de cada escola/agrupamento, as experiências e conhecimentos prévios dos formandos. As sessões incluirão, ainda, momentos e espaços de partilha de experiências e de discussão.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

Preenchimento do questionário no final da Ação.

Bibliografia

Afonso, C., & Costa, A. (2022). Inteligência artificial na educação: oportunidades e desafios. Revista Portuguesa de Educação, 35(2), 11-35. doi:10.21814/rpe.2022.35.2.11 Blikstein, P. (2019). The potential of artificial intelligence to revolutionize education. Education Next, 19(2), 26-33. Cai, Y., & Shen, X. (2021). The impact of artificial intelligence on education: A systematic review of empirical research. Educational Technology Research and Development, 69(1), 1-24. doi:10.1007/s11423-020-09793-3 European Commission. (2021). Artificial Intelligence in Education: A European Approach. European Schoolnet. (2022). AI in Education: A European Framework. Recomendação n.º 1/2023, de 24 de janeiro, do Conselho Nacional de Educação, sobre a Inteligência Artificial na Educação. Guia para a Integração da Inteligência Artificial no Ensino e na Aprendizagem. Ministério da Educação de Portugal, 2023.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 13-03-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 209ACD13T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD13 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A ação enquadra-se no Plano de Ação para a Transição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº30, de 21 de abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu. Esta ação, inserida no Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) do Agrupamento de Escolas de Cister. O CANVA é uma excelente ferramenta para a criação de conteúdos educativos digitais, gratuita, intuitiva, colaborativa e disponível em várias plataformas. Os recursos de edição são fáceis de utilizar e bastante objetivos, sendo disponibilizada uma extensa uma biblioteca de elementos multimédia.

Objetivos

• O CANVA for Education enquanto plataforma digital utilizável em contexto escolar; • Conhecer as funcionalidades e potencialidades do CANVA; • Criar conteúdos educativos digitais (individuais e colaborativos); • Partilhar e exportar conteúdos digitais;

Conteúdos

1. Introdução ao CANVA Definição. Metáfora que preside à organização e estrutura. Registo na plataforma (como educador). 2. O ambiente de trabalho do CANVA Áreas e funcionalidades: bibliotecas, ferramentas, recursos multimédia. 3. Criação de recursos Criar recursos educativos (planos de aula, infografias, apresentações,…). 4. Partilha e exportação de recursos/materiais Formatos de exportação e opções de partilha. 5. Trabalho colaborativo Definir equipas de trabalho e desenvolver trabalho colaborativo. 6. Criar, configurar e gerir turmas Integração do CANVA com outras plataformas digitais (Classroom, Teams,…)

Metodologias

Esta ação terá uma duração 6 horas, distribuídas por duas sessões de 3 horas cada. As sessões terão um carácter presencial teórico-prático. Os formandos terão oportunidade de trabalhar individualmente e/ou em grupo, em ligação com os contextos de cada escola/agrupamento, as experiências e conhecimentos prévios dos formandos. As sessões incluirão, ainda, momentos e espaços de partilha de experiências e de discussão.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

No Final da Ação, preenchimento de um Questionário de Avaliação.

Bibliografia

Araújo, J. C., Santos, A. C., & Paixão, M. J. (2023). Canva: Uma ferramenta para a educação criativa. Edições Almedina, ISBN 978-989-664-732-8. Martins, C., Paixão, M. J., & Araújo, J. C. (2022). Canva: uma ferramenta digital para a educação. Educação e Formação, 19(2), 1-15. DOI: 10.15847/edufor.2022.v19n2.p1-15. Santos, A. C., Araújo, J. C., & Paixão, M. J. (2022). O uso do Canva no ensino de design gráfico. Design & Tecnologia, 18(1), 1-15. DOI: 10.15847/designtec.2022.v18n1.p1-15. Araújo, J. C., Paixão, M. J., & Martins, C. (2022). O Canva como ferramenta para a criação de materiais didáticos. Educação e Tecnologias, 19(1), 1-15. DOI: 10.15847/eductec.2022.v19n1.p1-15. Araújo, J. C. (2023). Canva para professores. Amazon Kindle, ISBN 978-989-664-733-5. Paixão, M. J. (2023). Canva para estudantes. Amazon Kindle, ISBN 978-989-664-734-2.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 06-03-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 214ACD16T1_23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 16 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 19-02-2024

Fim: 19-02-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - Alcobaça (AE Cister)

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Professores do 1º Ciclo

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

No seguimento do trabalho desenvolvido no círculo de estudos "Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica: desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção", procedeu-se ao estudo da temática do "Currículo, Avaliação e Pedagogia", nomeadamente, da importância da implementação de metodologias ativas de aprendizagem e da sua relação com a Avaliação Pedagógica.

Objetivos

Partilhar experiências sobre a implementação de Metodologias Ativas de Aprendizagem em Sala de Aula e sobre a utilização de rubricas e listas de verificação em aula. Conceber uma Ação de Curta Duração para a disseminação do trabalho elaborado pelos formandos no círculo de estudos "Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica: desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção"

Conteúdos

-Metodologias Ativas de Aprendizagem - Rubricas e Listas de Verificação -Partilha de experiências de implementação em sala de aula

Metodologias

Partilha de metodologias e estratégias desenvolvidas em sala de aula .

Modelo

Os formandos só terão direito a certificação se frequentarem a totalidade de horas. Preenchimento de um questionário de satisfação.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-02-2024 (Segunda-feira) 16:00 - 20:00 4:00 Presencial

Ref. 191_2324_B2_T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118020/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 06-02-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro/ONLINE

Formador

Helena Borges Maria Alves Borges da Silva

Destinatários

Professores do Grupo 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 500. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Metodologias

Presencial: A oficina terá sessões centradas na análise e apropriação dos documentos curriculares, nomeadamente nas orientações curriculares, nas ideias inovadoras, nas ideias-chave e na exploração de conceitos integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas. No final da oficina os formandos realizarão a preparação, apresentação e discussão dos trabalhos realizados, que deverão enfatizar a reflexão sobre o seu papel na implementação do currículo. Nesta altura também será realizada a avaliação da oficina. Durante a formação o trabalho deve contemplar a complementaridade entre momentos de trabalho em pequenos grupos e apresentações e discussões no grande grupo. Trabalho Autónomo: De forma intercalada será desenvolvido trabalho autónomo pelos formandos, com a leitura das AE e de textos disponibilizados, com a planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

- Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162 - Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE. - Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta. - Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482 - Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação

Anexo(s)

Aprendizagens Essenciais MAT A ensino secundário


Observações

Os professores indicados pelos AE/ENA e que lecionem Matemática A terão prioridade na seleção para esta ação de formação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 21-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 28-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 06-03-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 13-03-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 19-03-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 17-04-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
8 23-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
9 30-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial

Ref. 215ACD18T1-23-24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 18 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 02-02-2024

Fim: 03-02-2024

Regime: Presencial

Local: Armazém das Artes

Formador

Carlos Alberto de Jesus Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE Cister

Enquadramento

Esta ação visa enriquecer a compreensão sobre temas como resiliência, tolerância e justiça social. Através da apresentação e eventual leitura do livro e da visualização dos filmes propostos, podem-se explorar as complexidades históricas e humanas do Holocausto e outras formas de opressão. Esta experiência, por sua vez, capacitará os professores a fomentar discussões mais profundas e significativas em sala de aula, promovendo uma consciência crítica e empática entre os alunos. O objetivo é educar para a cidadania global, a empatia intercultural e o respeito pelas diferenças, alinhando-se com a missão do projeto educativo de criar cidadãos conscientes e ativos na sociedade.

Objetivos

Aumentar a Consciência Histórica e Humanitária: Profundar o entendimento sobre o Holocausto e a resiliência dos povos oprimidos. Promover a Tolerância e o Respeito: Sensibilizar para a importância do respeito pelas diferenças e da luta contra o preconceito. Desenvolver o Pensamento Crítico e Empatia: Capacitar os professores para fomentar uma reflexão crítica e empática nos alunos. Incentivar a Cidadania Ativa e Global: Inspirar os alunos a serem cidadãos conscientes e ativos na sociedade. Estimular a Solidariedade e Justiça Social: Reforçar os valores de solidariedade, justiça e equidade. Esses objetivos alinham-se com a visão do projeto educativo de formar cidadãos críticos, conscientes e humanitários.

Conteúdos

Tópicos históricos e sociais relevantes, como o Holocausto, a opressão e a resiliência dos povos. Palestra/debate: Apresentação do livro Um judeu Português em Istambul Discussão e debate dos temas históricos com as questões contemporâneas de tolerância, identidade e justiça social.

Metodologias

Visionamento de dois dos seguintes filmes: "Shoah" (1985), de Claude Lanzmann (Excerto de curta-metragem, 56 min.); "O filho de Saul" (2015) de László Nemes (longa-metragem, 107 min.).

Avaliação

A certificação está dependente do cumprimento integral das horas da ação.

Modelo

Preenchimento de um formulário no final da ação.


Observações

Coordenação : Mestre Carlos Alberto de Jesus Carvalho , com a participação do Doutor José Pedro Cantinho Pereira

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-02-2024 (Sexta-feira) 19:00 - 20:30 1:30 Presencial
2 03-02-2024 (Sábado) 19:00 - 20:30 1:30 Presencial

Ref. 211ACD12T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 12 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 27-01-2024

Fim: 27-01-2024

Regime: Presencial

Local: Auditório da Biblioteca Municipal de Alcobaça

Formador

Carlos Alberto de Jesus Carvalho

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e da Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Esta ação visa enriquecer a compreensão sobre temas como resiliência, tolerância e justiça social. Através da apresentação e eventual leitura do livro e da visualização dos filmes propostos, podem-se explorar as complexidades históricas e humanas do Holocausto e outras formas de opressão. Esta experiência, por sua vez, capacitará os professores a fomentar discussões mais profundas e significativas em sala de aula, promovendo uma consciência crítica e empática entre os alunos. O objetivo é educar para a cidadania global, a empatia intercultural e o respeito pelas diferenças, alinhando-se com a missão do projeto educativo de criar cidadãos conscientes e ativos na sociedade.

Objetivos

Aumentar a Consciência Histórica e Humanitária: Profundar o entendimento sobre o Holocausto e a resiliência dos povos oprimidos. Promover a Tolerância e o Respeito: Sensibilizar para a importância do respeito pelas diferenças e da luta contra o preconceito. Desenvolver o Pensamento Crítico e Empatia: Capacitar os professores para fomentar uma reflexão crítica e empática nos alunos. Incentivar a Cidadania Ativa e Global: Inspirar os alunos a serem cidadãos conscientes e ativos na sociedade. Estimular a Solidariedade e Justiça Social: Reforçar os valores de solidariedade, justiça e equidade. Esses objetivos alinham-se com a visão do projeto educativo de formar cidadãos críticos, conscientes e humanitários.

Conteúdos

Tópicos históricos e sociais relevantes, como o Holocausto, a opressão e a resiliência dos povos. Palestra/debate: Apresentação do livro Um judeu Português em Istambul Discussão e debate dos temas históricos com as questões contemporâneas de tolerância, identidade e justiça social.

Metodologias

Apresentação, debate e reflexão sobre os temas abordados.

Avaliação

A certificação está dependente do cumprimento integral das horas da ação.

Modelo

Preenchimento de um formulário no final da ação.

Anexo(s)

Programa


Observações

Coordenação : Mestre Carlos Alberto de Jesus Carvalho , com a participação do Doutor José Pedro Cantinho Pereira

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-01-2024 (Sábado) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 207ACD10T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 10 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-01-2024

Fim: 24-01-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial pertencentes à Bolsa de Avaliadores Externos (AvExt.) do CFAE.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A Avaliação Externa do Desempenho docente e o exercício da Função de Avaliador(a) Externo (a) requerem um conjunto de competências e de procedimentos que importa refletir e aprofundar. Nesta perspetiva, com esta Ação de Curta Duração pretende-se: • Promover o desenvolvimento de competências de avaliação externa no âmbito do quadro nacional de referência; • Realizar uma leitura partilhada do quadro orientador dos objetivos e procedimentos; • Debater o processo de “observação de aulas” e de avaliação externa da dimensão científica e pedagógica; • Incentivar o trabalho colaborativo entre os profissionais envolvidos no processo de observação.

Objetivos

Promover o desenvolvimento de competências de avaliação externa no âmbito do quadro nacional de referência Reconhecer o enquadramento legal da função de avaliador externo Incentivar o trabalho colaborativo entre os profissionais envolvidos no processo de observação

Conteúdos

1. Quadro normativo da ADD: uma perspetiva global e integrada 2. A componente externa da ADD: orientações e procedimentos 2.1. Competências do avaliador externo 2.2. Observação de aulas 2.3. Instrumentos de apoio: guião de observação, parâmetros e níveis de desempenho 2.4. Procedimentos: preparação, observação, autoavaliação e classificação.

Metodologias

Seminário, com questões e atividades práticas.

Modelo

Preenchimento do questionário de satisfação/avaliação no final


Observações

Critérios de seleção: 1. Avaliadores(as) Externos(as) já nomeados para exercer a função de AE, no corrente ano letivo; 2. Outros Avaliadores(as) Externos(as) que integram a Bolsa de Avaliadores (Validados pelos Diretores dos AE/ENA no SIGRHE ) e que ainda podem ainda vir a ser mobilizados para este ciclo avaliativo (2023/2024) Ação dinamizada pela Dr.ª Graça Trindade, Diretora do Nova Água Centro de Formação de Associação de Escolas - Coimbra.

Critérios de seleção: 1. Avaliadores(as) Externos(as) já nomeados para exercer a função de AE, no corrente ano letivo; 2. Outros Avaliadores(as) Externos(as) que integram a Bolsa de Avaliadores (Validados pelos Diretores dos AE/ENA no SIGRHE ) e que ainda podem ainda vir a ser mobilizados para este ciclo avaliativo (2023/2024).

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 210ACD11T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 11 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-01-2024

Fim: 18-01-2024

Regime: e-learning

Local: Online

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A ação enquadra-se no Plano de Ação para a Transição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Esta ação, pretende auxiliar os elementos das EDD a conhecer a SELFIE e SELFIE PTK, enquanto instrumentos de reflexão coletiva, a partir da ferramenta SELFIE, a pode ajudar a identificar os pontos fortes e as áreas a melhorar, para delinear de forma mais consciente o Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE).

Objetivos

Delinear um percurso de aprendizagem para a escola; Explorar metodologias e estratégias que promovam a aprendizagem, utilizando recursos educativos digitais; Planificar estratégias de ensino, de aprendizagem e de avaliação com recurso a tecnologias digitais; Refletir sobre resultados a alcançar sobre as estratégias a implementar, do ponto de vista das aprendizagens e do desenvolvimento das competências digitais; Dar sustentabilidade ao desenvolvimento digital; Contribuir para o desenvolvimento de um ecossistema em torno da ferramenta SELFIE, apoiando as escolas na sua transformação digital.

Conteúdos

Reflexão sobre o que significa uma escola digitalmente desenvolvida, bem como é que a reflexão coletiva, a partir da SELFIE, pode ajudar a identificar os pontos fortes e áreas a melhorar; Apresentação do SELFIE PTK e como pode auxiliar a análise dos resultados da SELFIE e consequentemente a conceção e implementação de planos de ação inovadores para melhorar as competências digitais das escolas; Construção de uma visão partilhada e sua importância para o desenvolvimento digital da escola, assim como para uma escola democrática e inclusiva.

Bibliografia

Comissão Europeia/EACEA/Eurydice. (2019). A Educação Digital nas Escolas da Europa. https://doi.org/10.2797/393325 Couto, Z. K. (2017). O uso de Recursos Educacionais Digitais na Educação Básica (REDEB): relato de experiência. Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027). https://education.ec.europa.eu/pt-pt/focus- topics/digital-education/digital-education-action-plan Documentos do MOOC - Kit Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Digital das Escolas: da Reflexão à Inovação https://lms.nau.edu.pt/courses/course-v1:DGE+SELFIE+2023_T4/course/


Observações

Formadoras: Embaixadoras Digitais Sandra Galante (Nova Ágora) e Rita Alexandre (CFAECAN)

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 166_2324_B1_T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118316/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 16-01-2024

Fim: 20-02-2024

Regime: b-learning

Local: Online/ Centro de Interpretação e Ed. Ambiental - Alcobaça

Formador

Catarina Schreck Carmo dos Reis

Aurora da Conceição Coelho Moreira

Destinatários

Professores dos Grupos 230, 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 230, 520. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Referencial de Educação Ambiental para a Sustentabilidade é um documento curricular de referência para desenvolvimento de projetos e iniciativas em que os alunos aprendam a utilizar o conhecimento para interpretar a realidade envolvente, tomando decisões face aos efeitos das atividades humanas sobre o ambiente. Estes revelam assim o potencial para materializar a retoma da dimensão experimental no ensino das ciências enquanto estratégia diferenciada e ativadora da vontade de aprender, no contexto do plano para a recuperação das aprendizagens dos alunos. Considerando a crescente preocupação com um sistema alimentar cada vez mais insustentável, a promoção da educação alimentar é fundamental à mudança de atitudes que nos mantenha – e ao planeta – saudáveis. Particularmente, em contexto escolar, existe um apelo para complementar a existente abordagem nutricional no sentido de uma abordagem mais ampla, com o foco na sustentabilidade (Morgan & Sonnino, 2008; Elsden-Clifton & Futter-Puati, 2015; Sumner, J., 2016). Sendo escassa a investigação sobre o papel e lugar da educação alimentar na formação de professores, é necessário repensar como, neste contexto mais abrangente, a educação alimentar se pode traduzir em práticas, quer na sala de aula (Elsden-Clifton & Futter-Puati, 2015), quer em contextos não formais que empoderem para processos críticos. A educação ambiental assume uma posição privilegiada no desenvolvimento de competências para responder aos desafios do desenvolvimento sustentável, tendo como referência as orientações curriculares baseadas nas Aprendizagens Essenciais e PASEO.

Objetivos

- Contribuir para a reflexão sobre práticas de educação alimentar nas escolas num quadro de educação para a sustentabilidade, em articulação com as Aprendizagens Essenciais e o PASEO. - Articular a temática da alimentação sustentável no contexto dos diversos temas do referencial da educação ambiental para a sustentabilidade e respetivos ODS’s. - Explorar atividades de suporte à operacionalização destes temas. - Promover pedagogias baseadas no pensamento sistémico e na multi, inter e transdisciplinaridade, no uso de abordagens de ensino experimental e a participação em projetos de ação coletiva, como abordagens eficazes em programas educativos sobre de sistemas alimentares, em articulação com as Aprendizagens Essenciais e o PASEO - Criar recursos educativos facilitadores de uma abordagem à educação alimentar no contexto da sustentabilidade. - Capacitar para a construção de projetos e iniciativas de educação que promovam a aproximação aos sistemas alimentares e suportem mudanças comportamentais, no sentido da regeneração dos ecossistemas, tendo por objetivo o desenvolvimento sustentável.

Conteúdos

1ª. Sessão Sessão online síncrona: 2 horas Apresentação: ▪ Apresentação dos formandos e formadores; ▪ Objetivos e metodologias da ação de formação; ▪ Cronograma da ação de formação; ▪ Atividades a desenvolver; ▪ Critérios de avaliação. 2ª. Sessão Sessão online síncrona: 2 horas Enquadramento teórico-prático: ▪ A mudança de foco da educação alimentar e sua relação com a educação para a saúde; ▪ Referencial de Educação Ambiental para a Sustentabilidade (no currículo escolar); ▪ Recuperar, experimentando: o ensino experimental das ciências enquanto potenciador da recuperação das aprendizagens e enquanto abordagem eficaz no contexto de programas educativos sobre alimentação sustentável; ▪ Enquadramento da alimentação sustentável, numa lógica de recuperação dos ecossistemas no âmbito das aprendizagens essenciais e do PASEO; ▪ Temáticas da educação para a sustentabilidade na perspetiva da educação alimentar: o Biodiversidade e serviços dos ecossistemas para a alimentação (Millennium Ecosystem Assessment); o Educação para a produção e consumo sustentável de alimentos (ex: redução do desperdício alimentar) no contexto da economia circular; o Impacto do sistema alimentar nas alterações climáticas. Definição conjunta dos trabalhos a realizar pelos formandos. 3ª Sessão Sessão presencial conjunta: 3 horas Sessão prática: ▪ Exploração de atividades práticas de suporte a uma abordagem à educação alimentar para a sustentabilidade; ▪ Propostas e exploração de recursos educativos no âmbito da educação alimentar para a sustentabilidade e sua dinamização prática; ▪ Relato de aspetos das práticas dos participantes, partilha e debate sobre o material existente; ▪ Apoio à criação de recursos educativos e aos trabalhos a realizar pelos formandos. 4ª. Sessão Sessão online assíncrona: 2 horas Trabalho autónomo dos formandos no âmbito dos trabalhos a desenvolver 5ª. Sessão Sessão online síncrona: 2 horas Orientação tutorial para o desenvolvimento dos trabalhos dos formandos 6ª. Sessão Sessão online assíncrona: 2 horas Trabalho autónomo dos formandos no âmbito dos trabalhos a desenvolver 7ª. Sessão Sessão online síncrona: 2 horas Comunicação e discussão dos trabalhos dos formandos. Avaliação da ação de formação.

Metodologias

Duração de 15 horas: 8 online síncronas + 3 presencias + 4 online assíncronas. Na 1.ª sessão (online síncrona), serão feitas as apresentações e apresentados os conteúdos e objetivos da ação, a plataforma onde serão colocados os materiais de apoio ao curso, os documentos orientadores para os trabalhos a realizar, bem como os critérios de avaliação e o cronograma da ação. Na 2.ª sessão (online síncrona), com um cariz teórico-prático, será realizada a contextualização e enquadramento da temática e serão realizadas atividades práticas demonstrativas, com apresentação e dinamização de recursos educativos, bem como a definição dos trabalhos a desenvolver pelos formandos. A 3.ª sessão será prática, presencial, com apoio à criação de recursos educativos e dos trabalhos. As 4.ª e 6ª sessões (online assíncronas), serão para trabalho autónomo para a realização dos seus trabalhos. A 5.ª (online síncrona) é de apoio e orientação tutorial dos trabalhos individuais dos formandos. A última sessão (online síncrona), far-se-á a partilha, debate e reflexão de projetos, metodologias e práticas, debate e reflexão. Proceder-se-á ainda à avaliação da formação

Avaliação

A avaliação será quantitativa e qualitativa sendo classificada numa escala de 1 a 10 valores, de acordo com a legislação em vigor, nomeadamente os pontos 5. e 6. do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, e terá em consideração critérios e ponderações aprovados no Centro de Formação. Participação/realização de tarefas nas sessões (40%); reflexão critica/trabalho final (60%).

Bibliografia

1. Sumner, Jennifer (ed.). (2016). Learning, Food, and Sustainability: Sites for Resistance and Change. New York : Palgrave Macmillan. https://link.springer.com/chapter/10.1057/978-1-137-53904-5_4 2. Elsden-Clifton, J., & Futter-Puati, D. (2015). Creating a health and sustainability nexus in food education: designing third spaces in teacher education. Australian Journal of Environmental Education, 31(1), 86-98 3. Hilimire, k.,Gillon,S., B McLaughlin, B., d-Uribe, B. & Monsen,K. (2014). Food for Thought: Developing Curricula for Sustainable Food Systems Education Programs. Agroecology and Sustainable Food Systems, 38(6), 722-743 https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/21683565.2014.881456

Anexo(s)

educacao-alimentar-saudavel-e-sustentavel_um-processo-chave-na-recuperacao-de-ecossistemas.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
2 20-01-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
3 23-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
4 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online assíncrona
5 30-01-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
6 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online assíncrona
7 20-02-2024 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona

Ref. 206ACD9T1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 9 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-01-2024

Fim: 10-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - Alcobaça (AE Cister)

Formador

Tatiana Luísa Pinho Fernandes Pereira

Destinatários

Docentes de qualquer ciclo de ensino com cargos de tutoria/Apoio tutorial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Cister e CFAE dos Concelhos de Alcobaça

Enquadramento

Necessidade de monitorização e aferição de procedimentos, no âmbito da implementação da medida de Apoio Tutorial Específico (ATE)/ Tutoria. Assume-se enquanto uma estratégia para a garantia de práticas eficazes no acompanhamento dos alunos sinalizados, promovendo a supervisão, a consultoria técnica e ajustamento na gestão de recursos.

Objetivos

- Dotar os participantes de informação relativa ao enquadramento legal das medidas de ATE e Tutoria - Apresentar o enquadramento teórico subjacente às tutorias autorregulatórias - Capacitar os formandos para a implementação de práticas promotoras da autorregulação - Promover a partilha de dificuldades e a intervisão de práticas pedagógicas

Conteúdos

- Apresentação do enquadramento legal do ATE e Tutorias de caráter preventivo - As medidas de Apoio tutorial à luz do DL 54/2018 de 6 de julho - As tutorias autorregulatórias: enquadramento teórico - Programa «Mentor» e principais implicações para a prática.

Avaliação

- Participação nas dinâmicas da ação - Preenchimento que questionário on-line visando as aprendizagens mais significativas

Modelo

- Preenchimento de questionário de avaliação da ação

Bibliografia

DuBois, D. L., & Keller, T. E. (2017). Investigation of the integration of supports for youth thriving into a community‐based mentoring program. Child Development, 88(5), 1480-1491. https://doi.org/10.1111/cdev.12887 Ministério da Educação (2020). Orientações para a Recuperação e Consolidação das Aprendizagens ao Longo do Ano Letivo de 2020/2021 . Disponível em: Orientações para a recuperação e consolidação das aprendizagens | Ao longo do ano letivo de 2020.21 (mec.pt). Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP). (2016). Promoção do sucesso educativo: Medida “Apoio tutorial específico” – Contributo da OPP. Lisboa: Ordem dos Psicólogos Portugueses. Simões, F., & Alarcão, M. (2008). Crescer, entre a escola e a família: O papel do professor tutor na promoção do percurso formativo de jovens alunos. International Journal of Developmental and Educational Psychology, 2(1), 439-448. Rosário, P. (2002a). Estórias sobre o estudar, histórias para estudar. Narrativas auto-regulatórias na sala de aula. Porto: Porto Editora Rosário, P. (2004b). (Des)venturas do Testas: Estudar o estudar. Porto: Porto Editora. Rosário, P. (2019). Mentor: Tutorias Autorregulatórias - Módulo 2. Braga: Grupo Universitário de Investigação em Autorregulação da Aprendizagem - Escola de Psicologia da Universidade do Minho. Zimmerman, B. J. (1990). Self-regulated learning and academic achievement: An overview. Educational psychologist, 25(1), 3-17. https://doi.org/10.1207/s15326985ep2501_2


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-01-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 178C28/A3 Concluída

Registo de acreditação: ACD21-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 29-11-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: e-learning

Local: online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de Competências Digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais.

Objetivos

Esta ação visa contribuir para divulgar as boas práticas desenvolvidas, incrementadas e identificadas a quando da formação dos docentes nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de N1, N2 e N3 de modo a proporcionar, através da partilha, de momentos de trabalho colaborativo que se revelem promotores de melhorias nas aprendizagens dos alunos com recurso a metodologias de aprendizagem ativa com recurso ao digital. Deste modo como objetivos gerais pretende-se: - Contribuir para a promoção de estratégias e ações integradoras do digital em Ambientes Educativos. - Divulgar o trabalho desenvolvido pelos docentes no âmbito da sua participação nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de Nível 1, nível 2 e nível 3 - Criar o efeito de contágio nos outros docentes de práticas de ensino/aprendizagem inovadoras com recurso ao digital.

Conteúdos

Partilha de práticas realizadas em contexto de aprendizagem nas oficinas de capacitação digital de docentes N1, N2 e N3 relativas a: - A Integração Curricular em Ambientes Híbridos de Aprendizagem; - A avaliação em ambientes híbridos de aprendizagem, com recurso a Recursos Educativos Digitais integrados nas temáticas a apresentar.

Metodologias

Apresentação e partilha de projetos/ atividades desenvolvidas na formação CDD, com aplicação em sala de aula.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

Formulário disponibilizado pelo CFAE

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 202ACD8T2-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD 8 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 29-11-2023

Fim: 29-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de Competências Digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais.

Objetivos

Esta ação visa contribuir para divulgar as boas práticas desenvolvidas, incrementadas e identificadas a quando da formação dos docentes nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de N1, N2 e N3 de modo a proporcionar, através da partilha, de momentos de trabalho colaborativo que se revelem promotores de melhorias nas aprendizagens dos alunos com recurso a metodologias de aprendizagem ativa com recurso ao digital. Deste modo como objetivos gerais pretende-se: - Contribuir para a promoção de estratégias e ações integradoras do digital em Ambientes Educativos. - Divulgar o trabalho desenvolvido pelos docentes no âmbito da sua participação nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de Nível 1, nível 2 e nível 3 - Criar o efeito de contágio nos outros docentes de práticas de ensino/aprendizagem inovadoras com recurso ao digital.

Conteúdos

Partilha de práticas realizadas em contexto de aprendizagem nas oficinas de capacitação digital de docentes N1, N2 e N3 relativas a: - A Integração Curricular em Ambientes Híbridos de Aprendizagem; - A avaliação em ambientes híbridos de aprendizagem, com recurso a Recursos Educativos Digitais integrados nas temáticas a apresentar.

Metodologias

Apresentação e partilha de projetos/ atividades desenvolvidas na formação CDD, com aplicação em sala de aula.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD

Modelo

Formulário disponibilizado pelo CFAE

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 178C28/A2 Concluída

Registo de acreditação: ACD21-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-11-2023

Fim: 24-11-2023

Regime: e-learning

Local: online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de Competências Digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais.

Objetivos

Esta ação visa contribuir para divulgar as boas práticas desenvolvidas, incrementadas e identificadas a quando da formação dos docentes nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de N1, N2 e N3 de modo a proporcionar, através da partilha, de momentos de trabalho colaborativo que se revelem promotores de melhorias nas aprendizagens dos alunos com recurso a metodologias de aprendizagem ativa com recurso ao digital. Deste modo como objetivos gerais pretende-se: - Contribuir para a promoção de estratégias e ações integradoras do digital em Ambientes Educativos. - Divulgar o trabalho desenvolvido pelos docentes no âmbito da sua participação nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de Nível 1, nível 2 e nível 3 - Criar o efeito de contágio nos outros docentes de práticas de ensino/aprendizagem inovadoras com recurso ao digital.

Conteúdos

Partilha de práticas realizadas em contexto de aprendizagem nas oficinas de capacitação digital de docentes N1, N2 e N3 relativas a: - A Integração Curricular em Ambientes Híbridos de Aprendizagem; - A avaliação em ambientes híbridos de aprendizagem, com recurso a Recursos Educativos Digitais integrados nas temáticas a apresentar.

Metodologias

Apresentação e partilha de projetos/ atividades desenvolvidas na formação CDD, com aplicação em sala de aula.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

Formulário disponibilizado pelo CFAE

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 202ACD8_T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 8 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 24-11-2023

Fim: 24-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de Competências Digitais, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais.

Objetivos

Esta ação visa contribuir para divulgar as boas práticas desenvolvidas, incrementadas e identificadas a quando da formação dos docentes nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de N1, N2 e N3 de modo a proporcionar, através da partilha, de momentos de trabalho colaborativo que se revelem promotores de melhorias nas aprendizagens dos alunos com recurso a metodologias de aprendizagem ativa com recurso ao digital. Deste modo como objetivos gerais pretende-se: - Contribuir para a promoção de estratégias e ações integradoras do digital em Ambientes Educativos. - Divulgar o trabalho desenvolvido pelos docentes no âmbito da sua participação nas Oficinas de Capacitação Digital de docentes de Nível 1, nível 2 e nível 3 - Criar o efeito de contágio nos outros docentes de práticas de ensino/aprendizagem inovadoras com recurso ao digital.

Conteúdos

Partilha de práticas realizadas em contexto de aprendizagem nas oficinas de capacitação digital de docentes N1, N2 e N3 relativas a: - A Integração Curricular em Ambientes Híbridos de Aprendizagem; - A avaliação em ambientes híbridos de aprendizagem, com recurso a Recursos Educativos Digitais integrados nas temáticas a apresentar.

Metodologias

Apresentação e partilha de projetos/ atividades desenvolvidas na formação CDD, com aplicação em sala de aula.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD

Modelo

Formulário disponibilizado pelo CFAE

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 181C19/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 7 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-11-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Professores da Educação Especial;

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

O projeto MAIA apresenta como um dos principais eixos de sua ação a formação de professores em articulação direta com os CFAE. Neste âmbito, tendo por base as Oficinas de Formação ou os Círculos de Estudos, importa dar amplitude aos trabalhos e projetos desenvolvidos pelos formandos para além da turma de formação. Neste sentido, esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens e que ganham com uma discussão aberta e partilhada entre a comunidade mais ampla das escolas associadas ao CFAE.

Objetivos

Partilhar as experiências formativas no âmbito do Projeto MAIA, designadamente os Projetos de Intervenção elaborados no âmbito das Oficina de Formação; - Fomentar as práticas colaborativas e a dinamização de comunidades de prática; - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a melhoria das aprendizagens dos alunos.

Conteúdos

A ACD deve ser constituída pela apresentação, discussão e avaliação, entre pares, dos produtos e resultados das atividades de formação no âmbito do Projeto MAIA, designadamente nas Oficinas e Círculos de Estudos. Sendo organizada ao nível de cada CFAE, importa que a partilha seja o mais ampla possível, integrando todas as escolas associadas.

Anexo(s)


Observações

Exclusivo para docentes do Ensino Profissional do AE de Cister.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

Ref. 180C21/T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118528/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 03-11-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Numa perspetiva convergente e interdependente entre o quadro Normativo que regula as Políticas Publicas de Educação,a sua operacionalização em contexto assume uma importância decisiva na resposta aos desafios e oportunidades que secolocam na atualidade à Escola e aos seus profissionais. Tanto para as lideranças, como para os docentes e, sobretudo para os alunos, o contributo dos Projetos de Formação em desenvolvimento têm-se revelado imprescindíveis na promoção de uma Educação de qualidade, inclusiva e equitativa. Além dos normativos já existentes, como os Decretos-lei 54 e 55 de 2018, e tendo sempre como foco as competências doPerfil dos Alunos à Saída da Escolaridade e as Aprendizagens Essenciais, o Plano de Recuperação das Aprendizagenstem permitido aos Agrupamentos e Escolas Não Agrupadas a implementação de medidas que permitem a criação deambientes de aprendizagem inovadores, centrados nos alunos e nas suas aprendizagens. Este curso pretende propiciar aos docentes momentos aprofundamento de conceitos relacionados com a EducaçãoInclusiva, a Autonomia e Flexibilidade Curricular, a Avaliação Pedagógica, a Articulação Curricular, o Plano de TransiçãoDigital, numa perspetiva de transversalidade, complementados por espaços de discussão, de reflexão e de partilha depráticas pedagógicas e organizacionais com impacto na melhoria efetivas ao nível da sala de aula e no sucesso de todose cada um dos alunos.

Objetivos

Refletir sobre metodologias que permitam otimizar processos e estratégias de avaliação pedagógica e compreender a suaimportância para uma Educação Inclusiva; Mobilizar a comunidade educativa para a importância dos temas em questão, mediante discussão e trocas deexperiências entre os diversos agentes ligados ao mundo da educação e formação e ao mundo do trabalho; Consolidar a cultura de cooperação em rede das escolas entre si e com outras entidades parceiras; Estimular a adoção de metodologias ativas de avaliação para a aprendizagem, integrada em todo o processo didático parao desenvolvimento de competências e sucesso escolar; Fomentar hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas; Valorizar a integração das tecnologias educativas no processo ensino/ aprendizagem.

Conteúdos

Apresentação das temáticas, metodologias, e avaliação da formação; (Re)configurar a Escola: do quadro normativo das políticas públicas de Educação à sua operacionalização; A articulação curricular e as metodologias de aprendizagem ativa como potenciadoras das aprendizagens nas diferentesofertas formativas ; A Importância da Avaliação Pedagógica para as Aprendizagens dos alunos e a sua centralidade na Educação Inclusiva; Plano de Transição Digital: Da dimensão organizacional à integração das Tecnologias e literacias digitais nos processosde ensino e da aprendizagem; A imprescindibilidade do trabalho colaborativo face aos novos desafios organizacionais, profissionais e educativos .

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 defevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditaçãode Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicadono Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo porbase: - Participação/contributos e/ou realização das tarefas nas sessões (4 valores) 40% - Relatório final/reflexão crítica (6 valores) 60%

Bibliografia

- Decretos-Lei n.º 54 e 55/2018, de 6 de julho; - DGE (2017), Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. - UNESCO (2020), Inclusão e educação: Todos, sem exceção – Relatório de Monitorização Global da Educação. - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UAEditora. - https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Noticias_documentos/country-background-report-portugal-educacao-inclusiva-em-revista-2022.pdf

Anexo(s)


Observações

Terão prioridade na seleção os docentes das escolas associadas ao CFAE.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 10-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 24-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 29-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 30-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 180C21/T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118528/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 03-11-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

José Carlos Vieira Bastos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Numa perspetiva convergente e interdependente entre o quadro Normativo que regula as Políticas Publicas de Educação,a sua operacionalização em contexto assume uma importância decisiva na resposta aos desafios e oportunidades que secolocam na atualidade à Escola e aos seus profissionais. Tanto para as lideranças, como para os docentes e, sobretudo para os alunos, o contributo dos Projetos de Formação em desenvolvimento têm-se revelado imprescindíveis na promoção de uma Educação de qualidade, inclusiva e equitativa. Além dos normativos já existentes, como os Decretos-lei 54 e 55 de 2018, e tendo sempre como foco as competências doPerfil dos Alunos à Saída da Escolaridade e as Aprendizagens Essenciais, o Plano de Recuperação das Aprendizagenstem permitido aos Agrupamentos e Escolas Não Agrupadas a implementação de medidas que permitem a criação deambientes de aprendizagem inovadores, centrados nos alunos e nas suas aprendizagens. Este curso pretende propiciar aos docentes momentos aprofundamento de conceitos relacionados com a EducaçãoInclusiva, a Autonomia e Flexibilidade Curricular, a Avaliação Pedagógica, a Articulação Curricular, o Plano de TransiçãoDigital, numa perspetiva de transversalidade, complementados por espaços de discussão, de reflexão e de partilha depráticas pedagógicas e organizacionais com impacto na melhoria efetivas ao nível da sala de aula e no sucesso de todose cada um dos alunos.

Objetivos

Refletir sobre metodologias que permitam otimizar processos e estratégias de avaliação pedagógica e compreender a suaimportância para uma Educação Inclusiva; Mobilizar a comunidade educativa para a importância dos temas em questão, mediante discussão e trocas deexperiências entre os diversos agentes ligados ao mundo da educação e formação e ao mundo do trabalho; Consolidar a cultura de cooperação em rede das escolas entre si e com outras entidades parceiras; Estimular a adoção de metodologias ativas de avaliação para a aprendizagem, integrada em todo o processo didático parao desenvolvimento de competências e sucesso escolar; Fomentar hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas; Valorizar a integração das tecnologias educativas no processo ensino/ aprendizagem.

Conteúdos

Apresentação das temáticas, metodologias, e avaliação da formação; (Re)configurar a Escola: do quadro normativo das políticas públicas de Educação à sua operacionalização; A articulação curricular e as metodologias de aprendizagem ativa como potenciadoras das aprendizagens nas diferentesofertas formativas ; A Importância da Avaliação Pedagógica para as Aprendizagens dos alunos e a sua centralidade na Educação Inclusiva; Plano de Transição Digital: Da dimensão organizacional à integração das Tecnologias e literacias digitais nos processosde ensino e da aprendizagem; A imprescindibilidade do trabalho colaborativo face aos novos desafios organizacionais, profissionais e educativos .

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 defevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditaçãode Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicadono Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo porbase: - Participação/contributos e/ou realização das tarefas nas sessões (4 valores) 40% - Relatório final/reflexão crítica (6 valores) 60%

Bibliografia

- Decretos-Lei n.º 54 e 55/2018, de 6 de julho; - DGE (2017), Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. - UNESCO (2020), Inclusão e educação: Todos, sem exceção – Relatório de Monitorização Global da Educação. - Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UAEditora. - https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Noticias_documentos/country-background-report-portugal-educacao-inclusiva-em-revista-2022.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 10-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 24-11-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 29-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 30-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 121C11/A1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119794/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas (12.5 horas presenciais + 12.5 horas de trabalho autónomo)

Início: 17-10-2023

Fim: 21-11-2023

Regime: Presencial

Local: AE São Martinho do Porto

Formador

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Moodle é uma plataforma que tem como principal função a gestão de aprendizagens. Inclui um conjunto de funcionalidades sistematizadas em 4 dimensões básicas: acesso protegido e gestão de perfis de utilizador, gestão de acesso a conteúdos, ferramentas de comunicação síncrona e assíncrona e sistemas de controlo de atividades (Santos, 2010). É uma plataforma que permite o desenvolvimento de capacidades necessárias à formação à distância promovendo a autonomia dos participantes, bem como a partilha de conhecimentos (Meirinhos, 2006). Deste modo, o Moodle permite aos alunos uma aprendizagem feita através da experimentação, desenvolvendo a autonomia e a reflexão. Ao professor permite construir recursos, que disponibilizará aos alunos, de forma a diversificar e otimizar a aprendizagem. Com os meios tecnológicos existentes nos nossos dias, parece contraproducente estar a “deixar de fora” um dos métodos com que os professores mais podem contar para os apoiar na difícil missão que é ensinar (Santos, 2012). Este Curso assume especial importância no contexto atual e surge da necessidade urgente de responder aos desafios e necessidades de melhorar as competências dos docentes na plataforma Moodle que lhes permitam planificar e desenvolver práticas de Ensino à Distância.

Objetivos

•Contribuir para o desenvolvimento das competências dos professores em relação à utilização das TIC, através do recurso a um ambiente virtual de gestão de aprendizagens designado MOODLE; •Contribuir para que a utilização pedagógica das TIC se integre efetivamente no processo de ensino e aprendizagem, estimulando o trabalho colaborativo e contribuindo para responder às necessidades individuais dos alunos; •Favorecer a seleção e organização de um conjunto de recursos e materiais de apoio ao desenvolvimento do trabalho de professores para apoio aos alunos à distância; •Contribuir para a criação de uma atitude colaborativa através da comunicação e da partilha de recursos e práticas; •Capacitar os professores para atuarem eficazmente com as tecnologias e de revelarem capacidade de aprofundar e desenvolver as suas competências neste domínio.

Conteúdos

Plataforma Moodle - Início •Apresentação do formador e formandos •Organização da oficina •Conteúdos da oficina •Critérios de avaliação da oficina •Como fazer o registo na plataforma e o pedido de disciplina no Moodle • Inscrição de utilizadores na página da disciplina Edição de uma disciplina no Moodle •Ativar modo de edição •Estrutura da disciplina: Tópicos versus Sumários •Separadores •Pastas (repositórios de ficheiros) Métodos de comunicação síncrona e assíncrona •Chat •Criar, editar e apagar fóruns Edição de uma disciplina no Moodle •Glossário •Sondagem Edição de uma disciplina no Moodle •Adicionar um ficheiro/documento •Entrega de um trabalho/documento Edição de uma disciplina no Moodle •Adicionar uma URL (páginas de Internet, vídeos online…) Edição de uma disciplina no Moodle •Avaliação/testes online Final •Apresentação da disciplina desenvolvida por parte dos formandos •Autoavaliação e Avaliação da formação

Metodologias

Presencial Como metodologia de trabalho salienta-se a preocupação em promover uma ação de formação participada, valorizando na mesma, uma vertente de trabalho ativa, de experimentação, exploração e aplicação. O espaço educativo virtual estará estruturado de acordo com as 8 sessões presenciais/síncronas (12,5 horas), assentes na plataforma Moodle intercaladas com sessões de trabalho autónomo /assíncronos. No trabalho autónomo/assíncrono (12,5) pretende-se que os formandos apliquem os conteúdos abordados através da realização de exercícios práticos num ambiente colaborativo, de partilha e reflexão. A exploração das sessões será feita de uma forma gradual e sequencial. Cada sessão terá associado um conjunto de tarefas, previamente definidas pela formadora, tendo como base a prática docente e o ensino e aprendizagem dos alunos, as quais serão tornadas visíveis e acessíveis aos participantes de acordo com o desenrolar das atividades e manter-se-ão visíveis até ao final da ação. Em cada sessão serão explicitados os seguintes aspetos: objetivos, a duração estimada de cada atividade; os recursos fornecidos aos formandos para a concretização das atividades propostas, sempre numa ligação aos contextos de intervenção dos formandos. Este trabalho pode ser coadjuvado pelo formador mediante os meios de comunicação síncronos e assíncronos (videoconferência, chat e fórum) disponibilizados na plataforma Moodle.

Avaliação

Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base: - Participação/contributos e realização das tarefas nas sessões (2.5 valores) 25% - Trabalho de aplicação de conteúdos e realização dos trabalhos e atividades propostos (6 valores) 60% - Relatório final/reflexão crítica (1.5 valores) 15%

Bibliografia

Meirinhos, M. F. A. (2006). Desenvolvimento profissional docente em ambientes colaborativos de aprendizagem a distância: estudo de caso no âmbito da formação contínua. Tese de doutoramento em Estudos da Criança - Tecnologias da Informação e Comunicação. Universidade do Minho. Braga. Neto, P. (2017). A plataforma Moodle numa escola secundária: um estudo de opinião e uso. Dissertação de Mestrado em Educação. IE-UL Rocha, A. P. (2017). AVALIAÇÃO FORMATIVA.UM ESTUDO SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CONTEXTO BLEARNING. Relatório de investigação de Pós-Doutoramento na Especialidade: Educação a distância e e-learning da Universidade Aberta. Santos, A. (2010). Um estudo sobre a influência da formação nos índices de utilização das TIC e na autoeficácia dos professores. Dissertação de Mestrado- Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Santos, A. (2014). Um estudo longitudinal sobre o efeito da formação no índice de autoeficácia e nos níveis de utilização das TIC pelos professores. Tese de doutoramento .Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Anexo(s)


Observações

As datas de início e fim são indicativas. A calendarização definitiva será elaborada após o encerramento das inscrições.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 24-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
3 07-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
4 14-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
5 21-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial

Ref. 134Turma C21/A3 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/625/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 10-10-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola sede do Agrupamento de Escolas da Benedita

Formador

Ronaldo Carvalho Filipe

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os Assistentes Técnicos e Operacionais desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos Assistentes do sistema educativo e formativo nacional e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de apoio e suporte ao ensino e à aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos Assistentes. Os Assistentes Técnicos e Operacionais fazem parte das comunidades educativas e de aprendizagem assumindo-se como destinatários primordiais definidos pelo quadro Europeu de Competências Digitais para os Educadores, quadro definido pela Comissão Europeia e pelos programas nacionais de desenvolvimento da literacia digital dos cidadãos nacionais (INCODE).

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os Assistentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver a sua literacia digital. São objetivos específicos:- promover o desenvolvimento das CD dos assistentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu;- capacitar os assistentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes áreas de trabalho profissional;- capacitar os assistentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os assistentes para a implementação de atividades promotoras do desenvolvimento dos seus níveis de literacia digital.

Conteúdos

Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Profissionalidade: Exploração de estratégias de apoio ao ensino e à aprendizagem digital. 5. Desafios no desempenho profissional: Exploração de estratégias de profissionalidade digital. Melhoria das abordagens de intervenção através de soluções digitais. 6. Consolidação de atividades profissionais com tecnologias digitais em diferentes situações de intervenção profissional. 7. Avaliação.

Avaliação

Ponderação: Participação (%) :40 Assiduidade (%): 10 Teste escrito / Trabalhos (%): 50 Escala de 1 a 20 valores

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/leg Portugal Digital. Formar pessoas para o digital. Disponível em https://portugaldigital.gov.pt/formar-pessoas-para-o-digital/


Observações

As datas são indicativas, após o encerramento das inscrições será divulgada a calendarização definitiva.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 16-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 25-10-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 30-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 06-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 17-11-2023 (Sexta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 154C8/T5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115691/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 03-10-2023

Fim: 28-11-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Sec. D. Inês de Castro - AE Cister

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Metodologias

• O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

- Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica_ desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção


Observações

.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-10-2023 (Terça-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 12-10-2023 (Quinta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
3 18-10-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
4 25-10-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
6 07-11-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 22-11-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
8 28-11-2023 (Terça-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Presencial

Ref. 157C10/T5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-10-2023

Fim: 20-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Isabel Maria Gomes Reis

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

As datas e horário podem ser ajustados em função do horário da Formadora e dos formandos.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona

Ref. 157C10/T6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-09-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Eliana Borges Henriques Vieira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

As datas e horário podem ser ajustados em função do horário da Formadora e dos formandos.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona

Ref. 197ACD4/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 4 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-09-2023

Fim: 03-10-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas da Benedita

Formador

Marco António Moniz de Lemos

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas da Benedita e CFAE dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A ação enquadra-se no Plano de Ação para a Transição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu. Esta ação, inserida no Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) do Agrupamento de Escolas da Benedita

Objetivos

Capacitar os docentes para a utilização consciente de ferramentas digitais como auxiliares na gestão das atividades de sala de aula com recurso aos kits digitais; Consciencializar para a utilização de Plataformas de Gestão de Aprendizagens na diferenciação pedagógica; Contribuir para a utilização de metodologias de avaliação formativa através da construção de rúbricas na Classroom;

Conteúdos

Criação de uma turma; Convite aos alunos e docentes; Utilização do Stream; Publicação de tarefas – tipologia de tarefas, agendamento e publicação seletiva; Criação de tópicos – Organização; Integração do Docs e de formulários nas tarefas; Integração da Classroom na Google Google Drive; Integração do Classroom no Google Calendário; Submissão de tarefas; Avaliação de tarefas; Criação de rubricas para avaliação através de standards.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

Formulário.

Bibliografia

Comissão Europeia/EACEA/Eurydice. (2019). A Educação Digital nas Escolas da Europa. https://doi.org/10.2797/393325 Couto, Z. K. (2017). O uso de Recursos Educacionais Digitais na Educação Básica (REDEB): relato de experiência. Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027). https://education.ec.europa.eu/pt-pt/focus- topics/digital-education/digital-education-action-plan


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-09-2023 (Quinta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 03-10-2023 (Terça-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial

Ref. 155C11/T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115692/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-09-2023

Fim: 21-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister/Online

Formador

Eliana Borges Henriques Vieira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias; No desenvolvimento do trabalho autónomopretende-se que os formandos apliqueminstrumentos e conhecimentos adquiridos, noâmbito da formação, em contexto escola/sala deaula, tendo presente o ciclo: avaliar o contexto,planear, aplicar, rever, ajustar. Trabalho autónomo (25h) Sessão 1 (presencial)- Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (5h) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 2 e 3 (on-line síncronas) - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (5h- 2 sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 4 e 5 (on-line síncronas) - Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 6 e 7 (on-line síncronas) - Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico - Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 8 (presencial)- Apresentação de relatórios individuais desenvolvidos durante o trabalho autónomo e reflexão critica sobre os mesmos(5H) Sessões presenciais conjuntas: 2 sessões – 10 horas: primeira sessão (5 h) e última sessão (5h – apresentação dos trabalhos finais da formação) Sessões online síncronas: 6 (15H- 2h30 cada sessão) Trabalho autónomo: 25 horas

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022

Anexo(s)

Criação de ambientes de aprendizagem inclusivos e inovadores


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-09-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial
2 03-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 17-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 24-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
6 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 14-11-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 21-11-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial

Ref. 170C24/A6 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116140/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 26-09-2023

Fim: 28-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundaria D. Inês de Castro/Online

Formador

José Carlos Vieira Bastos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Metodologias

Esta ação enquadra-se no Plano de Ação para a Tansição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu – Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, está desenhada para realização em regime a distância, tirando partido das vantagens deste regime de formação no contexto pandémico em que foi criada e visa a capacitação digital dos docentes - Nível 1 (B1 e B2 do DigCompEdu). Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-09-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 03-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 10-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
4 17-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 24-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 31-10-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
7 07-11-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
8 28-11-2023 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial

Ref. 155C11/T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115692/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-09-2023

Fim: 20-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - AE Cister/Online

Formador

Dora Sofia Ferreira de Jesus

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário, de Educação Especial e do grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todos são parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agentes educativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhores aprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências a identificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias; No desenvolvimento do trabalho autónomopretende-se que os formandos apliqueminstrumentos e conhecimentos adquiridos, noâmbito da formação, em contexto escola/sala deaula, tendo presente o ciclo: avaliar o contexto,planear, aplicar, rever, ajustar. Trabalho autónomo (25h) Sessão 1 (presencial)- Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (5h) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 2 e 3 (on-line síncronas) - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (5h- 2 sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 4 e 5 (on-line síncronas) - Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 6 e 7 (on-line síncronas) - Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem (5h- 2sessões de 2h30 cada) Enquadramento teórico - Desenvolvimento de atividades práticas Reflexão crítica Sessão 8 (presencial)- Apresentação de relatórios individuais desenvolvidos durante o trabalho autónomo e reflexão critica sobre os mesmos(5H) Sessões presenciais conjuntas: 2 sessões – 10 horas: primeira sessão (5 h) e última sessão (5h – apresentação dos trabalhos finais da formação) Sessões online síncronas: 6 (15H- 2h30 cada sessão) Trabalho autónomo: 25 horas

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022

Anexo(s)

Criação de ambientes de aprendizagem inclusivos e inovadores


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial
2 04-10-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
6 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Presencial

Ref. 170C24/A5 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116140/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 25-09-2023

Fim: 13-11-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro/Online

Formador

Andrea Isabel Pereira César Osório

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Metodologias

Esta ação enquadra-se no Plano de Ação para a Tansição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 30, de 21 de Abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu – Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, está desenhada para realização em regime a distância, tirando partido das vantagens deste regime de formação no contexto pandémico em que foi criada e visa a capacitação digital dos docentes - Nível 1 (B1 e B2 do DigCompEdu). Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Observações

Última oportunidade a realizar em setembro

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 02-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
4 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
7 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
8 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial

Ref. 196ACD3/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 3 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 22-09-2023

Fim: 22-09-2023

Regime: Presencial

Local: Centro de Interpretação e Ed. Ambiental do Conc. de Alcobaça

Formador

Maria João Correia Lima

Destinatários

Educadores de Infância; Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Universidade de Coimbra e Município de Alcobaça

Objetivos

a) Promover a Interdisciplinaridade: A exposição de geodiversidade oferece uma oportunidade única para integrar diferentes disciplinas, incluindo geologia, biologia, geografia e até mesmo matemática. Os professores poderão explorar conceitos de geodiversidade que se relacionam com várias áreas curriculares; b) Estimular a Observação e Análise: A visita incentivará os professores a observar detalhes geológicos e geográficos que podem passar despercebidos no dia a dia. Eles desenvolverão habilidades de observação e análise, que podem ser transmitidas aos seus alunos. c) Promover a Literacia Científica: Através da exploração de rochas, minerais e formações geológicas, os professores irão aprimorar a sua literacia científica e compreensão dos processos naturais que moldam a Terra. Isso os capacitará a transmitir informações precisas aos seus alunos; d) Estimular a Curiosidade: Ao interagir com exposições, os professores serão incentivados a fazer perguntas e buscar respostas. Isso promove a mentalidade investigativa, que pode ser compartilhada com os alunos; e) Promover a Educação Ambiental: A geodiversidade desempenha um papel fundamental na compreensão dos ecossistemas e na conservação do meio ambiente. Os professores aprenderão como podem abordar questões ambientais em sala de aula de forma interligada com a geodiversidade.

Conteúdos

a) Introdução à Geodiversidade: Explicação do conceito de geodiversidade e sua importância; Contextualização sobre como a geodiversidade influencia a formação das praias. b) Formação Geológica das Praias: Descrição dos processos geológicos que contribuem para a formação de praias, como erosão, sedimentação e movimentação de sedimentos; Exemplos de diferentes tipos de praias, incluindo praias de origem vulcânica, praias de coral, praias costeiras e praias fluviais. c) Composição da Areia: Exploração das diferentes partículas encontradas na areia das praias, incluindo areia, cascalho, seixos e calhaus; Demonstração de como a composição da areia pode variar de uma praia para outra. d) História Geológica: Abordagem da importância de estudar a areia da praia como um registo da história geológica da região; Destaque para como os detritos encontrados na areia podem fornecer informações sobre eventos geológicos passados. e) Importância Ambiental: Discussão sobre a importância da preservação das praias e dos ecossistemas costeiros; Abordagem das ameaças à geodiversidade das praias, como a erosão costeira e a poluição. f) Atividades Interativas: Atividades práticas para os visitantes, como a observação de amostras de areia sob microscópio; Possibilidade de tocar e sentir diferentes tipos de partículas de areia. g) Aplicações Científicas: Exploração de como o estudo da geodiversidade pode ser aplicado em campos como geologia, arqueologia e conservação ambiental; Exemplos de pesquisas científicas que utilizam a análise de areia para entender a história do planeta. h) Educação Ambiental: Incentivo à responsabilidade ambiental e à conservação das praias e dos recursos naturais; Sugestão de práticas sustentáveis para preservar a geodiversidade das praias. i) Exemplos Locais: Destaque para praias e áreas costeiras específicas da região, demonstrando como a geodiversidade se manifesta localmente. j) Conclusão e Reflexão: Síntese das principais aprendizagens da visita; Estímulo à reflexão sobre a importância de cuidar e preservar o ambiente natural, incluindo as praias.

Metodologias

A. Aprendizagem Experiencial: A visita guiada permite que os professores aprendam através da experiência prática e da exploração ativa. Eles poderão tocar, observar e interagir com amostras geológicas. B. Diálogo e Discussão: Durante a visita, os professores terão a oportunidade de dialogar com especialistas em geologia e geodiversidade, o que enriquecerá sua compreensão e permitirá a troca de ideias. C. Aplicação Prática: Os professores serão incentivados a refletir sobre como podem aplicar o conhecimento adquirido em suas práticas de ensino, desenvolvendo atividades e recursos relevantes para as suas disciplinas. D. Desenvolvimento de Recursos Didáticos: Os participantes serão encorajados a criar materiais didáticos relacionados à geodiversidade que possam ser usados em suas aulas

Avaliação

Autoavaliação oral e Reflexão Final: No final da ACD, os formandos farão uma autoavaliação de seu próprio progresso e da aprendizagem ao longo da formação.

Bibliografia

Livros de Geologia e Geodiversidade: "Geology" de Stanley Chernicoff e Donna Whitney. "Geomorphology: The Mechanics and Chemistry of Landscapes" de Robert S. Anderson e Suzanne P. Anderson. "Coastal Geomorphology" de Eric Bird. "Sedimentary Geology" de Donald R. Prothero e Fred Schwab. Livros sobre Praias e Ecossistemas Costeiros: "Coastal Conservation" de Brooke Maslo, Julie L. Lockwood e Steven C. Pitts. "The Beach Book: Science of the Shore" de Carl Hobbs. Livros sobre Educação Ambiental e Interpretação Ambiental: "Interpreting Our Heritage" de Freeman Tilden. "Environmental Education: Principles, Methods, and Applications" de Richard Louv e Martha Farrell Erickson. "Teaching Environmental Literacy: Across Campus and Across the Curriculum" de Heather L. Reynolds e Eduardo S. Brondizio.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-09-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 177C27/A2 Concluída

Registo de acreditação: ACD20-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 20-09-2023

Fim: 11-10-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas da Benedita

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e professores de Educação Especial.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A conceção de cenários inovadores, recorrendo a metodologias de aprendizagem ativa, são uma resposta aos novos desafios que se colocam à educação, à escola e aos professores do século XXI, de modo que todos os alunos alcancem as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Pretende-se a construção de ambientes educativos aliciantes, com o uso da tecnologia, que privilegiam a ação do aluno, favorecendo a motivação, a criatividade e o envolvimento do aluno na construção individual ou coletiva do conhecimento, indo ao encontro de uma educação inclusiva “enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento da participação nos processos de aprendizagem e na vida da comunidade educativa” (Decreto-Lei nº 54/2018, de 6 de julho). Estes cenários podem ser integrados em contexto curricular das disciplinas, em contextos de trabalho interdisciplinar e/ou de articulação curricular, nomeadamente em Domínios de Autonomia Curricular, tendo por referência o Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, que regulamenta a implementação da “Autonomia e Flexibilidade Curricular” nas escolas.

Objetivos

Compreender a pertinência do desenvolvimento de atividades de aprendizagem ativa no contexto educativo atual; Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Conteúdos

Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Exemplos práticos de aprendizagem ativa; Experimentação de metodologia(s) de Aprendizagem Ativa. Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho. Decreto-Lei n.º 54/2018, 6 de julho. Direção-Geral da Educação, 2018. Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Anexo(s)


Observações

Em princípio, as sessões serão dias 20/09 e 11/10 (quartas-feiras) à tarde. Na seleção terão prioridade os professores do AE da Benedita. Para obtenção do certificado é necessário a frequência a todas a horas da ação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-09-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial
2 11-10-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 124C15/A1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 2 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 18-09-2023

Fim: 21-09-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância, professores do Ensino Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

Breve caraterização de diferentes plataformas LMS (Moodle, Google Classroom, MS Teams), centrando-se esta ACD no aprofundamento da plataforma Moodle. Exploração das diferentes funcionalidades da(s) plataforma(s) LMS utilizada(s) pelo Agrupamento ao qual pertencem os docentes a quem se dirige a ACD. Serão escolhidas as ferramentas que melhor se adaptem ao grupo de formandos selecionado, tendo em conta a(s) plataforma(s) LMS adoptadas pelo Agrupamento de Escolas/Escola Não Agrupada de origem.

Objetivos

Com o desenvolvimento desta ACD pretende-se que os docentes acedam e aprofundem conhecimentos acerca das diferentes Plataformas/ Ferramentas/aplicações Digitais e da sua aplicação prática na atividade docente em contexto de Ensino e Aprendizagem à Distância. Tem ainda como objetivo melhorar os circuitos comunicacionais entre todos os intervenientes a diferentes níveis (docentes, alunos, famílias, estruturas de gestão e coordenação). Melhorar as condições e práticas de trabalho colaborativo entre profissionais e estruturas de administração e gestão.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.


Observações

Conteúdos: Configurações e ferramentas básicas do Moodle (A selecionar de acordo com os participantes). As datas de início e fim são indicativas. A calendarização definitiva será elaborada após o encerramento das inscrições.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-09-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 21-09-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial

Ref. 175C22/A3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116262/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 18-09-2023

Fim: 23-10-2023

Regime: Presencial

Local: Centro Escolar da Benedita - AE Benedita

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Professores dos Grupos 100 e 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

A programação de computadores constitui uma competência fulcral para o desenvolvimento de capacidades de resolução de problemas, bem como do raciocínio lógico. Deste modo, a sua integração em idades precoces é considerada fundamental, sendo apontada como um dos vetores de intervenção estratégica do plano de ação para a empregabilidade digital por ser uma das competências que abrem oportunidades de empregabilidade e respondem a determinados desafios societais. A utilização do computador deve também ser vista como uma atividade que permite o desenvolvimento do pensamento computacional, através da possibilidade de resolver problemas do mundo real de forma criativa, não se centrando apenas na programação, mas, principalmente, nos aspetos de conceção, planificação e implementação, necessários ao desenvolvimento de um determinado projeto. Importa, portanto, promover aprendizagens significativas e contextualizadas, desafiando as crianças a irem para além da literacia digital básica e a desenvolverem competências multidisciplinares, reforçando a confiança nas suas capacidades. Apesar do foco na programação, é importante centrar o processo nas ideias, na criatividade, na colaboração e na resolução de problemas, assumindo uma perspetiva pedagógica inovadora e motivadora. Neste sentido, a oficina de formação visa atualizar e aprofundar as competências teóricas e experimentais dos educadores e professores que dinamizam, ou possam vir a dinamizar, atividades de desenvolvimento do pensamento computacional e de introdução à programação no 1º ciclo.

Objetivos

- Refletir sobre relação do desenvolvimento do pensamento computacional, com as competências do século XXI; - Promover, em contexto de sala de aula/escolar, a realização de atividades interativas, colaborativas e incentivadoras da criatividade; - Construir atividades que desenvolvam o pensamento computacional, implementando-as em contexto sala de aula/escolar; - Desenvolver soluções codificadas, articulando o pensamento computacional com áreas curriculares do ensino básico e programando as respetivas soluções em ferramentas de programação por blocos; - Delinear atividades e estratégias de utilização de ferramentas de programação para crianças em contexto educativo, aplicando-as em contexto de sala de aula e refletindo sobre as práticas; - Avaliar as metodologias e as atividades construídas e implementadas, refletindo sobre as suas potencialidades, atendendo aos seus efeitos nos processos de ensino e de aprendizagem; - Promover o trabalho colaborativo e a partilha de experiências entre os professores.

Conteúdos

TRABALHO PRESENCIAL 1. Apresentação. Programa da ação, definição global do projeto final, metodologia de avaliação – 1 hora. 2. Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional - 2 horas: 2.1. Competências para o século XXI; 2.2. Pensamento computacional: conceitos, caraterísticas e objetivos; atividades de pensamento computacional. 3. Ferramentas de Programação para Crianças - 10 horas: 3.1. Robótica Educativa; 3.2. Ferramentas de programação por blocos adequadas a crianças, suas caraterísticas e exploração das mesmas; 3.3. Planificação e conceção de recursos e atividades, utilizando as ferramentas de programação exploradas, promotores do pensamento computacional; 3.4. Reflexão sobre as metodologias e as atividades construídas e implementadas, analisando as suas potencialidades nos processos de ensino e de aprendizagem. 4. Projeto - 2 horas: 4.1. Análise de exemplos de planificações de atividades de programação no contexto de sala de aula; 4.2. Estratégias e modalidades de avaliação; 4.3. Reflexão crítica sobre o desenvolvimento de projeto suportado por metodologia de aprendizagem ativa, articulando a programação com áreas curriculares. TRABALHO AUTÓNOMO – 15 horas: 1. Pesquisa e pequena síntese escrita sobre Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional. 2. Implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. 3. Concretização do projeto final, de forma reflexiva, e envio através de email ou da plataforma Moodle ou similar.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do ferramentas digitais de programação e reflexão sobre a articulação entre estas e o currículo; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com as OCEPE e o currículo do 1º CEB, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Escala de avaliação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Dimensões a avaliar: i) Participação na ação (contributos e trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais) ii) Trabalho escrito individual final (qualidade das atividades produzidas, da descrição das práticas pedagógicas desenvolvidas com os alunos e da reflexão produzida) Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade. A certificação da Ação será efetuada de acordo com a legislação em vigor.

Bibliografia

- AA.VV. (2017) – Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. [PDF] Disponível em http://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf - Figueiredo, M., Torres, J. (2015). Iniciação à Programação no 1º Ciclo do Ensino Básico – Linhas Orientadoras. DGE, Lisboa. Disponível em: http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Programacao/IP1CEB/linhas_orientadoras.pdf - Ministério da Educação (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf - Ramos, J.L. e Espadeiro, R.G. (2015) Pensamento computacional na escola e práticas de avaliação das aprendizagens. Uma revisão sistemática da literatura. Disponível em: http://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/14227/1/challenges%202015br.pdf

Anexo(s)


Observações

As datas de começo e término são indicativas. A turma só abre com o mínimo de 12 participantes. Quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-09-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 25-09-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 02-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 09-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 23-10-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 199ACD6/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 6 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-09-2023

Fim: 08-09-2023

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Samuel Carvalho Branco

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Externato Cooperativo da Benedita, em parceria com o CFAE dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

Os professores têm necessidade de criar rubricas associadas às tarefas criadas no Microsoft Teams.

Objetivos

- Saber criar critérios de avaliação no Microsoft Teams associados à criação de tarefas. - Saber utilizar a opção Atividades da Aula para disponibilizar e organizar conteúdos e atividades para um módulo ou uma unidade de aprendizagem. - Saber inserir e utilizar a app Instrutor de Pesquisa para ajudar os alunos na pesquisa de informação na web. - Saber utilizar a app Reflect para perceber o estado emocional dos alunos perante situações específicas.

Conteúdos

Workshop – o formador foi exemplificando, através do uso de um vídeo projetor, e os formandos foram reproduzindo nos seus equipamentos. Houve ainda tempo para os formandos experimentarem de forma autónoma a aplicação dos conhecimentos e competências transmitidas com o apoio do formador.

Avaliação

Os critérios de avaliação dos formandos consistem na presença e na participação na ação.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-03-2024 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 179C20/T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117726/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 06-09-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas de Cister/Online

Formador

Luís Filipe Batista Mestre

Destinatários

Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Professores do Ensino Básico e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Pretende-se com esta Oficina de Formação instituir um tempo de estudo autónomo e o apoio individualizado às aprendizagens na sala de aula, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos. A par do desenvolvimento de competências de estudo autónomo e do uso de um plano individual de trabalho semanal, o professor apoia, de forma interativa e sistemática, os alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. A presente formação justifica-se, não só, pela necessidade de diferenciar o ensino e a aprendizagem, como, pela importância de desenvolver em todos os alunos competências de estudo autónomo na sala de aula. Nesse sentido, é fulcral o envolvimento dos alunos na gestão do currículo, de forma a que se responsabilizem e trabalhem autonomamente, de acordo com as suas necessidades curriculares e, sempre que necessário, com o apoio do professor e colegas. Perante a defesa de uma escola para todos, onde se valorizam as diferenças, a diferenciação pedagógica, sustentada pela cooperação, é, necessariamente, algo fundamental para o sucesso educativo de todos os alunos. Dado o atual trabalho excessivo nas escolas e o cansaço acumulado dos docentes, por um lado, e o excelente ambiente de partilha e resultados alcançados ocorrido nas anteriores Oficinas.

Objetivos

1. Desenvolver um tempo de estudo autónomo diário, de forma a diferenciar o ensino e a aprendizagem, tendo em vista o sucesso curricular de todos os alunos; 2. Desenvolver a autonomia, a responsabilidade, a cooperação e a participação ativa dos alunos na apropriação do currículo escolar; 3. Desenvolver competências de estudo autónomo (planeamento, gestão e autorregulação) nos alunos; 4. Promover o apoio (sistemático, interativo e eficaz) individual aos alunos com dificuldades na aprendizagem curricular. 5. Desenvolver parcerias eficazes entre os alunos, de forma a promover/recuperar as aprendizagens curriculares; 6. Desenvolver competências metacognitivas nos alunos (autoavaliar-se e aprender a aprender); 7. Instituir rotinas e instrumentos de trabalho que privilegiam uma avaliação formativa.

Conteúdos

1. Diferenciação pedagógica: Estudo autónomo e apoio individualizado - conceitos;- 3 horas 2. O Plano Individual de Trabalho;- 3 horas 3. Instrumentos de pilotagem do trabalho;- 3 horas 4. Ficheiros autocorretivos;-3 horas 5. O papel e o apoio do professor;-3 horas 6. As parcerias entre alunos;-3 horas 7. O planeamento e a avaliação/regulação do trabalho.- 4 horas 8.Avaliação da ação de formação. - 3 horas

Metodologias

PRESENCIAL: Apresentação (com recurso fotográfico) e discussão crítica, por parte dos professores, dos aspetos mais significativos (estratégias, instrumentos de pilotagem,ficheiros, produções dos alunos...) implementados nas suas turmas; • Discussão crítica de textos teóricos e ou de cariz prático; • Apresentação e discussão dos conteúdos da Oficina porparte do formador. Total: 25 horas TRABALHO AUTÓNOMO: Trabalho autónomo (entre sessões): • Implementação na sala de aula das estratégias e instrumentos de pilotagem apresentados e discutidos nas sessões presenciais; • Leitura de textos teóricos e ou de cariz prático; • Escrita descritiva e reflexiva sobre as mudanças implementadas na prática pedagógica (Portefólio). Total de 25 horas

Avaliação

A avaliação tem um carácter qualitativo e quantitativo (Despacho n.º 4595/2015). A escala de avaliação é compreendida entre 1 a 10 valores, sendo que a aprovação na oficina de formação dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores. Escala de avaliação e respetivas menções: • Excelente – de 9 a 10 valores; • Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; • Bom – de 6,5 a 7,9 valores; • Regular – de 5 a 6,4 valores; • Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Consideram-se três critérios (2+4+4): • Participação: Pontualidade; Intervenções/Apresentações (Pertinência/Clareza/Nível de reflexão); Empenho/Iniciativa; Cooperação/Partilha (2 valores); • Produção de trabalho/materiais: Adequação/Pertinência (4 valores); • Trabalho Final/Portefólio: Correção Formal (1); Conteúdo (Rigor, Fundamentação, Problematização, Coerência Interna, Apresentação) (1,5); e Aplicação dos conteúdos (1,5) (4 valores)

Bibliografia

- Assunção, C. (2011). O Tempo de Estudo Autónomo e a diferenciação pedagógica. Escola Moderna, 42(5), 13-24. - Duarte, J. (2012). A prática da avaliação formativa no desenvolvimento de uma regulação individualizada das aprendizagens. Escola Moderna, 40(5), 13-23. - Fróis, J. (novembro de 2010). Perplexidades de uma experiência de implementação de Tempo de Estudo Autó nomo. O lugar dos nossos textos – Escritos partilhados II. - Grave-Resendes, L. & Soares, J. (2002). Diferenciação pedagógica. Universidade aberta. - Liberal, J. (2010a). O Plano Individual de trabalho: contributos para a avaliação qualitativa das aprendizagens. EscolaModerna, 37(5), 38-58.

Anexo(s)


Observações

Formador_ Doutor Luís Mestre- Presidente do Movimento da Escola Moderna

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-09-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 13-09-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Online síncrona
3 27-09-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 04-10-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 18-10-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
6 25-10-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:30 3:30 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

Ref. 195ACD1/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 1 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-09-2023

Fim: 06-09-2023

Regime: Presencial

Local: Cineteatro da Nazaré

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CFAE dos concelhos de Alcobaça e Nazaré e Agrupamento de Escolas de Nazaré

Enquadramento

Neste início de ano escolar, estas Jornadas pretendem ser um espaço e um tempo de reflexão acerca dos desafios e das potencialidades que se colocam na atualidade aos professores para responderem à diversidade de alunos, tendo em vista uma Educação de qualidade, inclusiva e equitativa.

Conteúdos

15:00 – Sessão de Abertura Manuel Sequeira | Vereador da CM da Nazaré José Cesário |Presidente do Conselho Geral João Magueta| Diretor do AE de Nazaré Manuela Prata | Diretora do Centro de Formação 15h15 - Conferência - A EDUCAÇÃO E A ESCOLA - A REVOLTA DOS CÁBULAS Álvaro Laborinho Lúcio| Juiz Conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça 16:15- Conferência - INCLUSÃO E EQUIDADE, VETORES PARA A ESCOLA DO SÉCULO XXI" Célia Sousa| Docente da ESECS do IPLEIRIA e Coordenadora do Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) Moderadora: Manuela Prata Debate Encerramento

Avaliação

Certificação condicionada à frequência da totalidade da formação.

Modelo

Formulário CFAE


Observações

Início: 15:00 Conferências de Doutor Álvaro Laborinho Lúcio Juiz conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça Professora Doutora Célia Sousa Docente da ESECS do IP de Leiria

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-09-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 198ACD5/T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD 5 - 2023-2024

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 05-09-2023

Fim: 05-09-2023

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Samuel Carvalho Branco

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Externato Cooperativo da Benedita, em parceria com o CFAE dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

Os professores têm necessidade de criar elementos de design e comunicação visual quer para criação de recursos educativos quer para a promoção de atividades.

Objetivos

Saber utilizar o Canva para a criação de recursos educativos e promocionais: cartazes, apresentações, vídeos, logotipos e outros tipos de documentos.

Conteúdos

Apresentação e exploração do Canva para a criação de recursos educativos e promocionais: cartazes, apresentações, vídeos, logotipos e outros tipos de documentos. Recurso ao uso de um vídeo projetor, a construção, configuração, Inserção de elementos, partilha e formatação de recursos e os formandos foram reproduzindo nos seus equipamentos. Criação por parte dos formandos, de recursos de forma autónoma e com o apoio do formador.

Avaliação

Os critérios de avaliação dos formandos consistem na presença e na participação na ação.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-09-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 1941 Concluída

Registo de acreditação: ACD29-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 19-07-2023

Fim: 19-07-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio - AE Nazaré

Formador

Ana Rita Almeida Barreto

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE Nazaré, CFAECAN


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-07-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 193T1 Concluída

Registo de acreditação: ACD28 - 2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-07-2023

Fim: 12-07-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto

Formador

Carla Cristina Miguel Crisóstomo

Ana Margarida Martins Nunes

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial do AE de São Martinho do Porto

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto e Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

- Partilha de práticas pedagógicas, utilizando ferramentas digitais na abordagem de conteúdos curriculares promovendo a avaliação formativa para as aprendizagens. - Incentivar e motivar os docentes no desenvolvimento de trabalho colaborativo com a partilha dos recursos e experiências desenvolvidas em sala de aula. - Cumprimento de um dos objetivos do Plano de Ação previsto no PADDE.

Objetivos

Contribuir para criar dinâmicas de trabalho colaborativo na escola, que favoreçam a partilha de práticas pedagógicas de aprendizagem ativa, com a integração de ferramentas digitais nas práticas da sala de aula e/ou na escola.

Conteúdos

A formação será dividida em 5 sessões de 30 minutos, que contemplam a partilha de: - Apps na aprendizagem; - Cenários de aprendizagem; - Gamificação; - Inclusão; - Leitura na transversalidade do currículo; - Partilha das formações Erasmus+; - Ted Talk: “Todos somos MAIA”

Bibliografia

PADDE - Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola disponível para consulta em https://www.aesmporto.pt/index.php/agrupamento/documorientadores/padde Biblioteca Digital do Agrupamento disponível em https://padlet.com/bibliotecaescolardigitalsmp/biblioteca-escolar-digital-s-martinho-doporto-71ji1i0vgx70 Gamificação como atividade lúdico-didática no ensino. Disponível em https://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/63277 Mathcitymap disponível em https://mathcitymap.eu/en/portal-en/#!/ Projeto MAIA disponível em https://afc.dge.mec.pt/projeto-maia-introducao



Ref. 188T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120002/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 10-07-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Formador

Paula da Conceição Rodrigues Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como genuínas plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 9ª edição, este ano “Da Arte de Ler… a Cena”, surge como um espaço-tempo para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento integral da pessoa. Consulte o programa em https://shorturl.at/forHZ e as sinopses em https://shorturl.at/acqxI.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas educativas, através do debate e a reflexão sobre o papel da leitura, das diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos docentes face à sua Missão e às exigências da sociedade atual, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos (desde pré-escolar ao Ensino Secundário), mobilizando-os para a importância/papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto dramático/artes cénicas como potenciador(es) da apropriação de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto dramático/artes cénicas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o PASEO

Conteúdos

A formação totaliza 12 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas- 6 horas) e oficinas (6 horas), asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da arte de ler… a cena” para os agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto dramático/ as artes cénicas encerra(m); 3- O texto dramático/as artes cénicas como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto dramático/das artes cénicas na aquisição de conhecimentos, capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto dramático/das artes cénicas como potenciador(es) da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo,. 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Avaliação

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Calzavara, R. B. (2009). Encenar e ensinar o texto dramático na escola. Revista científica/FAP. v.4, n.2. p.149-154. https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/1612/952 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina - Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf

Anexo(s)

Da Arte de Ler…a Cena

Sinopses

Cartaz


Observações

O valor da inscrição definido pela RCBA é de 20€. A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento - Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-07-2023 (Segunda-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 10-07-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 11-07-2023 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 11-07-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 188T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120002/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 10-07-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Formador

Carla Maria Pires Rodrigues

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como genuínas plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 9ª edição, este ano “Da Arte de Ler… a Cena”, surge como um espaço-tempo para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento integral da pessoa. Consulte o programa em https://shorturl.at/forHZ e as sinopses em https://shorturl.at/acqxI.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas educativas, através do debate e a reflexão sobre o papel da leitura, das diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos docentes face à sua Missão e às exigências da sociedade atual, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos (desde pré-escolar ao Ensino Secundário), mobilizando-os para a importância/papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto dramático/artes cénicas como potenciador(es) da apropriação de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto dramático/artes cénicas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o PASEO

Conteúdos

A formação totaliza 12 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas- 6 horas) e oficinas (6 horas), asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da arte de ler… a cena” para os agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto dramático/ as artes cénicas encerra(m); 3- O texto dramático/as artes cénicas como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto dramático/das artes cénicas na aquisição de conhecimentos, capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto dramático/das artes cénicas como potenciador(es) da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo,. 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Avaliação

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Calzavara, R. B. (2009). Encenar e ensinar o texto dramático na escola. Revista científica/FAP. v.4, n.2. p.149-154. https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/1612/952 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina - Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf

Anexo(s)

Da Arte de Ler…a Cena

Sinopses

Cartaz


Observações

O valor da inscrição definido pela RCBA é de 20€. A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento - Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-07-2023 (Segunda-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 10-07-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 11-07-2023 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 11-07-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 188T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120002/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 10-07-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: Presencial

Local: Alcobaça (Biblioteca Municipal/Esc. Sec. D. Inês de Castro)

Formador

Ana Paula Príncipe Cardoso

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como genuínas plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 9ª edição, este ano “Da Arte de Ler… a Cena”, surge como um espaço-tempo para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento integral da pessoa. Consulte o programa em https://shorturl.at/forHZ e as sinopses em https://shorturl.at/acqxI.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas educativas, através do debate e a reflexão sobre o papel da leitura, das diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos docentes face à sua Missão e às exigências da sociedade atual, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos (desde pré-escolar ao Ensino Secundário), mobilizando-os para a importância/papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto dramático/artes cénicas como potenciador(es) da apropriação de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto dramático/artes cénicas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o PASEO

Conteúdos

A formação totaliza 12 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas- 6 horas) e oficinas (6 horas), asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da arte de ler… a cena” para os agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto dramático/ as artes cénicas encerra(m); 3- O texto dramático/as artes cénicas como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto dramático/das artes cénicas na aquisição de conhecimentos, capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto dramático/das artes cénicas como potenciador(es) da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo,. 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Avaliação

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Calzavara, R. B. (2009). Encenar e ensinar o texto dramático na escola. Revista científica/FAP. v.4, n.2. p.149-154. https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/1612/952 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina - Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf

Anexo(s)

Da Arte de Ler…a Cena

Sinopses

Cartaz


Observações

O valor da inscrição definido pela RCBA é de 20€. A sua inscrição só será considerada definitiva, após a submissão nesta plataforma do comprovativo do pagamento, e da sua validação pelos Serviços. Dados para pagamento - Agrupamento de Escolas de Cister N.º da Conta: 40214825305 IBAN: PT50 0045 5020 40214825305 42 BIC/SWIFT: CCCMPTPL

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-07-2023 (Segunda-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 10-07-2023 (Segunda-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
3 11-07-2023 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
4 11-07-2023 (Terça-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 188Técnicos e PD Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120002/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 10-07-2023

Fim: 11-07-2023

Regime: Presencial

Local: AE Cister

Formador

Paula da Conceição Rodrigues Ribeiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

Atualmente, a promoção da leitura, a criação e o desenvolvimento de leitores e de cidadãos responsáveis e críticos são desafios que exigem conhecimento e atualização constante. As bibliotecas assumem-se como genuínas plataformas de recursos formativos, potenciadoras de boas práticas profissionais, facilitadoras da formação dos docentes e restante comunidade educativa, favorecendo uma profícua Aprendizagem ao Longo da Vida, e combatendo, de forma ativa, empreendedora e colaborativa, a iliteracia cultural. Neste sentido, o Seminário Da Arte de Ler, na sua 9ª edição, este ano “Da Arte de Ler… a Cena”, surge como um espaço-tempo para debater e recentrar práticas e temáticas pertinentes e que vão ao encontro das necessidades formativas dos docentes do século XXI, num contexto em que a educação deve ser assumida como um processo onde se constroem, de forma participada e conjunta, conhecimentos, capacidades e atitudes fundamentais para o desenvolvimento integral da pessoa. Consulte o programa em https://shorturl.at/forHZ e as sinopses em https://shorturl.at/acqxI.

Objetivos

1. Contribuir para a mudança de práticas educativas, através do debate e a reflexão sobre o papel da leitura, das diferentes linguagens e expressões artísticas na escola da sociedade moderna. 2. Atualizar os percursos profissionais dos docentes face à sua Missão e às exigências da sociedade atual, promovendo um perfil de base humanista. 3. Contribuir para o reforço das competências e conhecimento dos agentes educativos (desde pré-escolar ao Ensino Secundário), mobilizando-os para a importância/papel das bibliotecas, enquanto espaços propiciadores do trabalho colaborativo com toda a comunidade educativa, na formação de cidadãos ativos, críticos e informados. 4. Motivar para o papel do texto dramático/artes cénicas como potenciador(es) da apropriação de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades e competências plurais. 5. Propiciar momentos de partilha experiências, visões e conhecimentos. 6. Propor novos modos de comunicação e novas abordagens em contexto educativo, partindo de textos e de práticas que tenham subjacente o texto dramático/artes cénicas, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o PASEO

Conteúdos

A formação totaliza 12 horas, repartidas em sessões teóricas (palestras e/ou mesas-redondas- 6 horas) e oficinas (6 horas), asseguradas por especialistas convidados, de acordo com a seguinte proposta: 1- Introdução ao tema e organização das atividades; 2- Oportunidades e desafios “Da arte de ler… a cena” para os agentes educativos e culturais no mundo contemporâneo, dada a multiplicidade de dimensões e pluralidade de linguagens que o texto dramático/ as artes cénicas encerra(m); 3- O texto dramático/as artes cénicas como estratégia discursiva compósita e complexa, capaz de revelar/(re)interpretar/denunciar os componentes sociais, axiológicos e culturais que caracterizam diferentes épocas; 4- O contributo do texto dramático/das artes cénicas na aquisição de conhecimentos, capacidades e competências, tendo como referência as respetivas Aprendizagens Essenciais e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória 5- O papel do texto dramático/das artes cénicas como potenciador(es) da sensibilidade estética e artística, da imaginação, da criatividade e do domínio do corpo,. 6- Reflexão, sistematização, avaliação.

Metodologias

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Avaliação

A ação prevê comunicações/mesas-redondas e debates em torno da temática central e dos conteúdos definidos. Decorrerão, também, oficinas temáticas, direcionadas aos docentes dos diferentes níveis de ensino com vista ao desenvolvimento de metodologias e estratégias promotoras do desenvolvimento de competências, valores e literacias múltiplas.

Modelo

Os formadoras são acreditadas nestas áreas e possuem uma vasta experiência na realização deste Curso de Formação que se repete todos os anos no concelho, sendo cada ano dedicado a um tema/área especifica.

Bibliografia

- Calzavara, R. B. (2009). Encenar e ensinar o texto dramático na escola. Revista científica/FAP. v.4, n.2. p.149-154. https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/1612/952 Mello, C. (1998). O Ensino da Literatura e a Problemática dos Géneros. Ed. Almedina - Comissão Executiva do Plano Nacional das Artes (2019). Plano Nacional das Artes: uma estratégia um manifesto. Ministério da Educação e Ministério da Cultura. - Martins, G. de O. et al. (2017). Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação, Direção Geral de Educação. http://hdl.handle.net/10400.26/22377 - Monteiro, R. (Coord.) (2017). Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Ministério da Educação.https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf - Rede de Bibliotecas Escolares (2021). Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Quadro estratégico:2021-2027.Ministério da Educação. https://rbe.mec.pt/np4/file/890/qe__21.27.pdf

Anexo(s)

Da Arte de Ler…a Cena

Sinopses

Cartaz



Ref. 1921 Concluída

Registo de acreditação: ACD27- 2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 28-06-2023

Fim: 28-06-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro - Alcobaça

Formador

Maria Manuela de Jesus Faustino Prata

Destinatários

Educadores de Infância e professores em exercício de Funções na Intervenção Precoce

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

ELI de Alcobaça, em parceria com o CFAE de Alcobaça e Nazaré


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-06-2023 (Quarta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
2 28-06-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 128C19/A1 Concluída

Registo de acreditação: ACD17-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 21-06-2023

Fim: 21-06-2023

Regime: Presencial

Local: AE Cister_ Escola Secundária D. Inês de Castro, Alcobaça

Formador

Ana Paula das Neves Santos

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário (Diretores dos AE/ENA; Equipas de Desenvolvimento Digital e Formadores PTD)

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

No âmbito da implementação do Programa de digitalização para as Escolas, a capacitação dos docentes e de outros profissionais de educação esta ação de curta duração tem por objetivo proceder a uma análise autorreflexiva de como decorreu o processo de conceção, implementação, acompanhamento e avaliação do PTD para as Escolas/Agrupamentos do CFAE dos Concelhos de alcobaça e Nazaré. Deste modo face aos objetivos propostos considera-se fundamental refletir acerca de como decorreu: ● A recolha de evidências (a aplicação e preenchimento do Check-in e Selfie); ● A formação de formadores e a formação de professores; ● A conceção, acompanhamento e implementação do PADDE ● A divulgação à comunidade do processo. ● Impactos nas Unidades Orgânicas e áreas de melhoria. O PADDE como instrumento de reflexão e mudança de práticas nas organizações educativas, tinha/tem como objetivo procurar potenciar os processos de inovação através do digital, nas escolas, e adequá-las aos seus contextos e aos desafios atuais da sociedade. Neste sentido, é fundamental aferir se as metas e as ações planeadas para a sua concretização, nas dimensões nele inscritas, foram adequadas. O desenho desta ACD considera-se como um instrumento fundamental para a monitorização de todo o processo de modo a aferir o progresso, verificar resultados, encontrar possíveis soluções para ultrapassar dificuldades/constrangimentos e potenciar bons resultados. Assim os diretamente envolvidos, diretores, formadores, e EDD no processo, através deste processo de autorreflexão onde todos possam analisar as diferenças entre os objetivos propostos e os resultados obtidos com o intuito de reformular e identificar novas áreas prioritárias de intervenção.

Conteúdos

Partilha de práticas dos AE/ENA associados do CFAE: Análise autorreflexiva da forma como decorreu o processo de conceção, implementação, acompanhamento e avaliação do PTD para as Escolas/Agrupamentos do CFAE dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré nas várias etapas: ● Implementação e análise dos resultados do Diagnóstico Check-In e Selfie; ● Formação de professores; Processo de conceção, implementação, acompanhamento e avaliação do Plano de ação para o desenvolvimento digital da Escola (PADDE) ● Impactos nas Unidades Orgânicas e áreas de melhoria.

Modelo

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-07-2023 (Quinta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 190ACD-26 22/23 Concluída

Registo de acreditação: ACD26-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 14-06-2023

Fim: 14-06-2023

Regime: Presencial

Local: Auditório da Biblioteca Municipal José Soares

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Nazaré

Enquadramento

A importância de estarmos alerta para a identificação de sinais de risco de violência e maus tratos em crianças e jovens, exige uma observação atenta de comportamentos nos nossos alunos. Neste contexto, convidámos a Doutora Fátima Duarte, da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens para nos falar sobre esses sinais de alerta, de forma a prevenir situações e agir com a rapidez desejável. Esta ação enquadra-se no trabalho em rede das Equipas Multidisciplinares de Apoio à Educação Inclusiva (EMAEI), em implementação neste CFAE, abrindo a possibilidade de frequência a outros docentes.

Objetivos

Identificar marcas, indicadores e sintomas de Maus-Tratos/Abusos e sua etiologia (acidental ou intencional). Adequar a intervenção técnica às situações concretas e identificadas.

Conteúdos

Definições de Maus-Tratos/Abusos contra Crianças e Jovens. Reconhecimento de marcas, indicadores físicos, psicológicos e comportamentais. Testemunhos em vídeo de Jovens Adultos Vítimas de Maus-Tratos/Abusos na Infância.

Metodologias

Sessão teórica/prática.

Avaliação

Preenchimento de questionário de avaliação da ação.

Modelo

Preenchimento de questionário de avaliação a enviar por email.


Observações

Mestre Maria de Fátima Duarte.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-06-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 14-06-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 121C11/A2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119794/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 25.0 horas (12.5 horas presenciais + 12.5 horas de trabalho autónomo)

Início: 05-06-2023

Fim: 05-07-2023

Regime: Presencial

Local: AE São Martinho do Porto

Formador

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Moodle é uma plataforma que tem como principal função a gestão de aprendizagens. Inclui um conjunto de funcionalidades sistematizadas em 4 dimensões básicas: acesso protegido e gestão de perfis de utilizador, gestão de acesso a conteúdos, ferramentas de comunicação síncrona e assíncrona e sistemas de controlo de atividades (Santos, 2010). É uma plataforma que permite o desenvolvimento de capacidades necessárias à formação à distância promovendo a autonomia dos participantes, bem como a partilha de conhecimentos (Meirinhos, 2006). Deste modo, o Moodle permite aos alunos uma aprendizagem feita através da experimentação, desenvolvendo a autonomia e a reflexão. Ao professor permite construir recursos, que disponibilizará aos alunos, de forma a diversificar e otimizar a aprendizagem. Com os meios tecnológicos existentes nos nossos dias, parece contraproducente estar a “deixar de fora” um dos métodos com que os professores mais podem contar para os apoiar na difícil missão que é ensinar (Santos, 2012). Este Curso assume especial importância no contexto atual e surge da necessidade urgente de responder aos desafios e necessidades de melhorar as competências dos docentes na plataforma Moodle que lhes permitam planificar e desenvolver práticas de Ensino à Distância.

Objetivos

•Contribuir para o desenvolvimento das competências dos professores em relação à utilização das TIC, através do recurso a um ambiente virtual de gestão de aprendizagens designado MOODLE; •Contribuir para que a utilização pedagógica das TIC se integre efetivamente no processo de ensino e aprendizagem, estimulando o trabalho colaborativo e contribuindo para responder às necessidades individuais dos alunos; •Favorecer a seleção e organização de um conjunto de recursos e materiais de apoio ao desenvolvimento do trabalho de professores para apoio aos alunos à distância; •Contribuir para a criação de uma atitude colaborativa através da comunicação e da partilha de recursos e práticas; •Capacitar os professores para atuarem eficazmente com as tecnologias e de revelarem capacidade de aprofundar e desenvolver as suas competências neste domínio.

Conteúdos

Plataforma Moodle - Início •Apresentação do formador e formandos •Organização da oficina •Conteúdos da oficina •Critérios de avaliação da oficina •Como fazer o registo na plataforma e o pedido de disciplina no Moodle • Inscrição de utilizadores na página da disciplina Edição de uma disciplina no Moodle •Ativar modo de edição •Estrutura da disciplina: Tópicos versus Sumários •Separadores •Pastas (repositórios de ficheiros) Métodos de comunicação síncrona e assíncrona •Chat •Criar, editar e apagar fóruns Edição de uma disciplina no Moodle •Glossário •Sondagem Edição de uma disciplina no Moodle •Adicionar um ficheiro/documento •Entrega de um trabalho/documento Edição de uma disciplina no Moodle •Adicionar uma URL (páginas de Internet, vídeos online…) Edição de uma disciplina no Moodle •Avaliação/testes online Final •Apresentação da disciplina desenvolvida por parte dos formandos •Autoavaliação e Avaliação da formação

Metodologias

Presencial Como metodologia de trabalho salienta-se a preocupação em promover uma ação de formação participada, valorizando na mesma, uma vertente de trabalho ativa, de experimentação, exploração e aplicação. O espaço educativo virtual estará estruturado de acordo com as 8 sessões presenciais/síncronas (12,5 horas), assentes na plataforma Moodle intercaladas com sessões de trabalho autónomo /assíncronos. No trabalho autónomo/assíncrono (12,5) pretende-se que os formandos apliquem os conteúdos abordados através da realização de exercícios práticos num ambiente colaborativo, de partilha e reflexão. A exploração das sessões será feita de uma forma gradual e sequencial. Cada sessão terá associado um conjunto de tarefas, previamente definidas pela formadora, tendo como base a prática docente e o ensino e aprendizagem dos alunos, as quais serão tornadas visíveis e acessíveis aos participantes de acordo com o desenrolar das atividades e manter-se-ão visíveis até ao final da ação. Em cada sessão serão explicitados os seguintes aspetos: objetivos, a duração estimada de cada atividade; os recursos fornecidos aos formandos para a concretização das atividades propostas, sempre numa ligação aos contextos de intervenção dos formandos. Este trabalho pode ser coadjuvado pelo formador mediante os meios de comunicação síncronos e assíncronos (videoconferência, chat e fórum) disponibilizados na plataforma Moodle.

Avaliação

Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base: - Participação/contributos e realização das tarefas nas sessões (2.5 valores) 25% - Trabalho de aplicação de conteúdos e realização dos trabalhos e atividades propostos (6 valores) 60% - Relatório final/reflexão crítica (1.5 valores) 15%

Bibliografia

Meirinhos, M. F. A. (2006). Desenvolvimento profissional docente em ambientes colaborativos de aprendizagem a distância: estudo de caso no âmbito da formação contínua. Tese de doutoramento em Estudos da Criança - Tecnologias da Informação e Comunicação. Universidade do Minho. Braga. Neto, P. (2017). A plataforma Moodle numa escola secundária: um estudo de opinião e uso. Dissertação de Mestrado em Educação. IE-UL Rocha, A. P. (2017). AVALIAÇÃO FORMATIVA.UM ESTUDO SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CONTEXTO BLEARNING. Relatório de investigação de Pós-Doutoramento na Especialidade: Educação a distância e e-learning da Universidade Aberta. Santos, A. (2010). Um estudo sobre a influência da formação nos índices de utilização das TIC e na autoeficácia dos professores. Dissertação de Mestrado- Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Santos, A. (2014). Um estudo longitudinal sobre o efeito da formação no índice de autoeficácia e nos níveis de utilização das TIC pelos professores. Tese de doutoramento .Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Anexo(s)


Observações

As datas de início e fim são indicativas. A calendarização definitiva será elaborada após o encerramento das inscrições.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 19-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 28-06-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 05-07-2023 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial

Ref. 154C8/T4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115691/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 01-06-2023

Fim: 20-07-2023

Regime: Presencial

Local: AE Cister

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Metodologias

• O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

- Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica_ desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção


Observações

.

As datas de começo e término são indicativas, quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 01-06-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
2 15-06-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
3 21-06-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
4 28-06-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
5 05-07-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
6 12-07-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
7 17-07-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Presencial
8 20-07-2023 (Quinta-feira) 17:15 - 21:15 4:00 Presencial

Ref. 175C22/A1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116262/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 15-05-2023

Fim: 26-06-2023

Regime: Presencial

Local: Centro Escolar de Alcobaça- AE Cister

Formador

Manuel Vicente Silva Cunha Calado

Destinatários

Professores dos Grupos 100 e 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

A programação de computadores constitui uma competência fulcral para o desenvolvimento de capacidades de resolução de problemas, bem como do raciocínio lógico. Deste modo, a sua integração em idades precoces é considerada fundamental, sendo apontada como um dos vetores de intervenção estratégica do plano de ação para a empregabilidade digital por ser uma das competências que abrem oportunidades de empregabilidade e respondem a determinados desafios societais. A utilização do computador deve também ser vista como uma atividade que permite o desenvolvimento do pensamento computacional, através da possibilidade de resolver problemas do mundo real de forma criativa, não se centrando apenas na programação, mas, principalmente, nos aspetos de conceção, planificação e implementação, necessários ao desenvolvimento de um determinado projeto. Importa, portanto, promover aprendizagens significativas e contextualizadas, desafiando as crianças a irem para além da literacia digital básica e a desenvolverem competências multidisciplinares, reforçando a confiança nas suas capacidades. Apesar do foco na programação, é importante centrar o processo nas ideias, na criatividade, na colaboração e na resolução de problemas, assumindo uma perspetiva pedagógica inovadora e motivadora. Neste sentido, a oficina de formação visa atualizar e aprofundar as competências teóricas e experimentais dos educadores e professores que dinamizam, ou possam vir a dinamizar, atividades de desenvolvimento do pensamento computacional e de introdução à programação no 1º ciclo.

Objetivos

- Refletir sobre relação do desenvolvimento do pensamento computacional, com as competências do século XXI; - Promover, em contexto de sala de aula/escolar, a realização de atividades interativas, colaborativas e incentivadoras da criatividade; - Construir atividades que desenvolvam o pensamento computacional, implementando-as em contexto sala de aula/escolar; - Desenvolver soluções codificadas, articulando o pensamento computacional com áreas curriculares do ensino básico e programando as respetivas soluções em ferramentas de programação por blocos; - Delinear atividades e estratégias de utilização de ferramentas de programação para crianças em contexto educativo, aplicando-as em contexto de sala de aula e refletindo sobre as práticas; - Avaliar as metodologias e as atividades construídas e implementadas, refletindo sobre as suas potencialidades, atendendo aos seus efeitos nos processos de ensino e de aprendizagem; - Promover o trabalho colaborativo e a partilha de experiências entre os professores.

Conteúdos

TRABALHO PRESENCIAL 1. Apresentação. Programa da ação, definição global do projeto final, metodologia de avaliação – 1 hora. 2. Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional - 2 horas: 2.1. Competências para o século XXI; 2.2. Pensamento computacional: conceitos, caraterísticas e objetivos; atividades de pensamento computacional. 3. Ferramentas de Programação para Crianças - 10 horas: 3.1. Robótica Educativa; 3.2. Ferramentas de programação por blocos adequadas a crianças, suas caraterísticas e exploração das mesmas; 3.3. Planificação e conceção de recursos e atividades, utilizando as ferramentas de programação exploradas, promotores do pensamento computacional; 3.4. Reflexão sobre as metodologias e as atividades construídas e implementadas, analisando as suas potencialidades nos processos de ensino e de aprendizagem. 4. Projeto - 2 horas: 4.1. Análise de exemplos de planificações de atividades de programação no contexto de sala de aula; 4.2. Estratégias e modalidades de avaliação; 4.3. Reflexão crítica sobre o desenvolvimento de projeto suportado por metodologia de aprendizagem ativa, articulando a programação com áreas curriculares. TRABALHO AUTÓNOMO – 15 horas: 1. Pesquisa e pequena síntese escrita sobre Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional. 2. Implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. 3. Concretização do projeto final, de forma reflexiva, e envio através de email ou da plataforma Moodle ou similar.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do ferramentas digitais de programação e reflexão sobre a articulação entre estas e o currículo; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com as OCEPE e o currículo do 1º CEB, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Escala de avaliação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Dimensões a avaliar: i) Participação na ação (contributos e trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais) ii) Trabalho escrito individual final (qualidade das atividades produzidas, da descrição das práticas pedagógicas desenvolvidas com os alunos e da reflexão produzida) Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade. A certificação da Ação será efetuada de acordo com a legislação em vigor.

Bibliografia

- AA.VV. (2017) – Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. [PDF] Disponível em http://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf - Figueiredo, M., Torres, J. (2015). Iniciação à Programação no 1º Ciclo do Ensino Básico – Linhas Orientadoras. DGE, Lisboa. Disponível em: http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Programacao/IP1CEB/linhas_orientadoras.pdf - Ministério da Educação (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf - Ramos, J.L. e Espadeiro, R.G. (2015) Pensamento computacional na escola e práticas de avaliação das aprendizagens. Uma revisão sistemática da literatura. Disponível em: http://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/14227/1/challenges%202015br.pdf

Anexo(s)


Observações

As datas de começo e término são indicativas. Quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-05-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 29-05-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
3 05-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
4 12-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 26-06-2023 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial

Ref. 157C10/T3 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-05-2023

Fim: 28-06-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Eliana Borges Henriques Vieira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

As datas de começo e término são indicativas, quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-05-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 19-05-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
4 23-05-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 31-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
6 07-06-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
7 12-06-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online assíncrona
8 21-06-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
9 28-06-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 176C26/A1 Concluída

Registo de acreditação: ACD19-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 11-05-2023

Fim: 18-05-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A ação enquadra-se no Plano de Ação para a Transição Digital, determinado pela Resolução do Conselho de Ministros nº30, de 21 de abril de 2020, Pilar I. Capacitação e inclusão digital das Pessoas, Subpilar I. Educação Digital, Medida 1: Programa de Digitalização para as Escolas, Dimensão. Plano de Capacitação Digital de Docentes, encontra-se estruturada de modo a contribuir para o desenvolvimento de competências consignadas nas áreas previstas no DigCompEdu. Esta ação, inserida no Plano de Ação de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) do Agrupamento de Escolas de Cister. O CANVA é uma excelente ferramenta para a criação de conteúdos educativos digitais, gratuita, intuitiva, colaborativa e disponível em várias plataformas. Os recursos de edição são fáceis de utilizar e bastante objetivos, sendo disponibilizada uma extensa uma biblioteca de elementos multimédia.

Objetivos

• Conhecer o CANVA for Education enquanto plataforma digital utilizável em contexto escolar; • Conhecer as funcionalidades e potencialidades do CANVA; • Criar conteúdos educativos digitais (individuais e colaborativos); • Partilhar e exportar conteúdos digitais; • Integrar o Canva com plataformas LMS - sistema de gestão de aprendizagem (Google Classroom, Teams,…) • Criar, configurar e gerir turmas.

Conteúdos

1. Introdução ao CANVA Definição. Metáfora que preside à organização e estrutura. Registo na plataforma (como educador). 2. O ambiente de trabalho do CANVA Áreas e funcionalidades: bibliotecas, ferramentas, recursos multimédia. 3. Criação de recursos Criar recursos educativos (planos de aula, infografias, apresentações,…). 4. Partilha e exportação de recursos/materiais Formatos de exportação e opções de partilha. 5. Trabalho colaborativo Definir equipas de trabalho e desenvolver trabalho colaborativo. 6. Criar, configurar e gerir turmas Integração do CANVA com outras plataformas digitais (Classroom, Teams,…)

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 157C10/T4 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 05-05-2023

Fim: 27-06-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Zélia Maria Lopes Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

As datas de começo e término são indicativas, quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-05-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 09-05-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona
4 19-05-2023 (Sexta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Online síncrona
5 23-05-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 31-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
7 09-06-2023 (Sexta-feira) 17:00 - 19:00 2:00 Online síncrona
8 21-06-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
9 27-06-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 175C22/A2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116262/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 04-05-2023

Fim: 26-06-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto

Formador

Andrea Isabel Pereira César Osório

Destinatários

Professores dos Grupos 100 e 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 100 e 110. 

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

A programação de computadores constitui uma competência fulcral para o desenvolvimento de capacidades de resolução de problemas, bem como do raciocínio lógico. Deste modo, a sua integração em idades precoces é considerada fundamental, sendo apontada como um dos vetores de intervenção estratégica do plano de ação para a empregabilidade digital por ser uma das competências que abrem oportunidades de empregabilidade e respondem a determinados desafios societais. A utilização do computador deve também ser vista como uma atividade que permite o desenvolvimento do pensamento computacional, através da possibilidade de resolver problemas do mundo real de forma criativa, não se centrando apenas na programação, mas, principalmente, nos aspetos de conceção, planificação e implementação, necessários ao desenvolvimento de um determinado projeto. Importa, portanto, promover aprendizagens significativas e contextualizadas, desafiando as crianças a irem para além da literacia digital básica e a desenvolverem competências multidisciplinares, reforçando a confiança nas suas capacidades. Apesar do foco na programação, é importante centrar o processo nas ideias, na criatividade, na colaboração e na resolução de problemas, assumindo uma perspetiva pedagógica inovadora e motivadora. Neste sentido, a oficina de formação visa atualizar e aprofundar as competências teóricas e experimentais dos educadores e professores que dinamizam, ou possam vir a dinamizar, atividades de desenvolvimento do pensamento computacional e de introdução à programação no 1º ciclo.

Objetivos

- Refletir sobre relação do desenvolvimento do pensamento computacional, com as competências do século XXI; - Promover, em contexto de sala de aula/escolar, a realização de atividades interativas, colaborativas e incentivadoras da criatividade; - Construir atividades que desenvolvam o pensamento computacional, implementando-as em contexto sala de aula/escolar; - Desenvolver soluções codificadas, articulando o pensamento computacional com áreas curriculares do ensino básico e programando as respetivas soluções em ferramentas de programação por blocos; - Delinear atividades e estratégias de utilização de ferramentas de programação para crianças em contexto educativo, aplicando-as em contexto de sala de aula e refletindo sobre as práticas; - Avaliar as metodologias e as atividades construídas e implementadas, refletindo sobre as suas potencialidades, atendendo aos seus efeitos nos processos de ensino e de aprendizagem; - Promover o trabalho colaborativo e a partilha de experiências entre os professores.

Conteúdos

TRABALHO PRESENCIAL 1. Apresentação. Programa da ação, definição global do projeto final, metodologia de avaliação – 1 hora. 2. Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional - 2 horas: 2.1. Competências para o século XXI; 2.2. Pensamento computacional: conceitos, caraterísticas e objetivos; atividades de pensamento computacional. 3. Ferramentas de Programação para Crianças - 10 horas: 3.1. Robótica Educativa; 3.2. Ferramentas de programação por blocos adequadas a crianças, suas caraterísticas e exploração das mesmas; 3.3. Planificação e conceção de recursos e atividades, utilizando as ferramentas de programação exploradas, promotores do pensamento computacional; 3.4. Reflexão sobre as metodologias e as atividades construídas e implementadas, analisando as suas potencialidades nos processos de ensino e de aprendizagem. 4. Projeto - 2 horas: 4.1. Análise de exemplos de planificações de atividades de programação no contexto de sala de aula; 4.2. Estratégias e modalidades de avaliação; 4.3. Reflexão crítica sobre o desenvolvimento de projeto suportado por metodologia de aprendizagem ativa, articulando a programação com áreas curriculares. TRABALHO AUTÓNOMO – 15 horas: 1. Pesquisa e pequena síntese escrita sobre Competências para o Século XXI e Pensamento Computacional. 2. Implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos. 3. Concretização do projeto final, de forma reflexiva, e envio através de email ou da plataforma Moodle ou similar.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do ferramentas digitais de programação e reflexão sobre a articulação entre estas e o currículo; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com as OCEPE e o currículo do 1º CEB, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Escala de avaliação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Dimensões a avaliar: i) Participação na ação (contributos e trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais) ii) Trabalho escrito individual final (qualidade das atividades produzidas, da descrição das práticas pedagógicas desenvolvidas com os alunos e da reflexão produzida) Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade. A certificação da Ação será efetuada de acordo com a legislação em vigor.

Bibliografia

- AA.VV. (2017) – Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. [PDF] Disponível em http://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf - Figueiredo, M., Torres, J. (2015). Iniciação à Programação no 1º Ciclo do Ensino Básico – Linhas Orientadoras. DGE, Lisboa. Disponível em: http://www.erte.dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos/Programacao/IP1CEB/linhas_orientadoras.pdf - Ministério da Educação (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf - Ramos, J.L. e Espadeiro, R.G. (2015) Pensamento computacional na escola e práticas de avaliação das aprendizagens. Uma revisão sistemática da literatura. Disponível em: http://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/14227/1/challenges%202015br.pdf

Anexo(s)


Observações

As datas de começo e término são indicativas, quando a turma estiver formada, far-se-á a Calendarização definitiva. Os formandos serão notificados antecipadamente.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-05-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 15-05-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 29-05-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 12-06-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 26-06-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 187B/1 Concluída

Registo de acreditação: ACD24-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 26-04-2023

Fim: 26-04-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Ricardo Nuno Lopes Cruz Ferreira

Destinatários

Professores do Grupo 300 do AE Cister

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré e AE/ENA Associadas

Enquadramento

A avaliação das aprendizagens é parte integrante do ensino e da aprendizagem, sendo um processo regulador que certifica as aprendizagens realizadas e gerador de informação cuja análise orienta a intervenção pedagógica. Outro dos propósitos da avaliação é a certificação das aprendizagens. Nesse sentido, importa “[...] valorizar leituras de complementaridade, de modo a potenciar a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem.” (art.º 22.º, n.º 5 do decreto-lei n.º 55/2018 de 6 de julho). Como tal, esta ACD enquadra-se numa reflexão sobre dados relativos à avaliação e nas estratégias didáticas que favoreçam a qualidade das aprendizagens dos alunos, com vista à promoção do seu sucesso escolar.

Objetivos

• Refletir sobre documentos da tutela relativos à avaliação externa – JNE e IAVE: Relatório do Júri Nacional de Exames (JNE e Direção-geral da Educação), 2021 e Relatório Nacional 2010-2016 – Exames Finais Nacionais – Ensino Secundário, do Instituto de Avaliação Educativa, I. P. (IAVE). • Analisar itens de Provas de Exame Nacional dos domínios da Educação Literária e Escrita. • Fazer inferências a partir de dados estatísticos dos resultados dos alunos em contexto de avaliação externa. • Deduzir níveis de complexidade cognitiva a partir da análise de itens de avaliação. • Definir estratégias para a melhoria do desempenho dos alunos na resolução de itens de avaliação do domínio da Educação Literária.

Conteúdos

• Dados estatísticos e de desempenho dos alunos em contexto de avaliação externa. • Conteúdos de itens de Educação Literária e Escrita, na avaliação externa. • Provas de Exame Nacional (2010 a 2022). • Itens de avaliação – os níveis de complexidade cognitiva. • Estratégias de aprendizagem.

Metodologias

Esta ACD será desenvolvida segundo um modelo teórico-prático, através da análise de dados estatísticos, enquadramento teórico relativo aos níveis de complexidade cognitiva de itens de avaliação e na definição de estratégias didáticas para melhorar o desempenho dos alunos. Deste modo, a ACD dividir-se-á em dois momentos. Um primeiro momento mais teórico e estatístico, culminando em conclusões que os formandos extrairão a partir da análise dos conteúdos apresentados. Um segundo momento, mais prático, em que a reflexão dos formandos incidirá sobre a delineação de estratégias didáticas para o desempenho dos alunos nos contextos abordados.

Bibliografia

Miller, M., Linn, R. & Gronlund, N. (1995, 2009). Measurement and assessment in teaching (10th edition). New Jersey: Pearson. Webb, R. (2005). Leading Teaching and Learning in the Primary School from “Educative Leadership” to “Pedagogical Leadership”. Educational Management Administration & Leadership, 33, 69-91. Withers, G. (2005). Item writing for tests and examinations, Module 5. Paris: UNESCO. Wright, Robert J. (2008). Educational Assessment: Tests and Measurements in the Age of Accountability. Thousand Oaks: Sage Publications.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Online síncrona

Ref. 189B/1 Concluída

Registo de acreditação: ACD25-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 26-04-2023

Fim: 08-05-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro_ AE Cister

Destinatários

Professores do Grupo 400

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE Cister/Centro de Formação da Associação de Escolas dos concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

"Trabalhar a paz em tempos de guerra_ Estratégias e recursos para a abordagem de temáticas ligadas aos conceitos de paz e guerra" pretende trazer à discussão um tema da atualidade . Como fomentar valores ligados à paz, num mundo que se debate com contextos de guerra? São muitos os desafios que se colocam atualmente no contexto da educação histórica, o maior deles continua a ser compreender a realidade. E a necessidade de compreender a realidade atual leva-nos à abordagem de dois conceitos que são frequentemente abordados na aula de História: paz e guerra. Presentes ao longo de todo o currículo de História, são-lhes, contudo, atribuídas diferentes importâncias. As temáticas que abordam situações de guerra têm uma considerável presença, sobretudo na abordagem da História do século XX, trabalhada no 9.° ano, aquele que é, para a maior parte dos alunos portugueses, o último ano que frequentam a disciplina de História.

Objetivos

"Trabalhar a paz em tempos de guerra_ Estratégias e recursos para a abordagem de temáticas ligadas aos conceitos de paz e guerra" pretende trazer à discussão um tema da atualidade . Como fomentar valores ligados à paz, num mundo que se debate com contextos de guerra? - Promover momentos de problematização sobre o papel da História na formação dos jovens cidadãos, na compreensão de situações que marcam a atualidade; - Analisar o modo como os alunos entendem os conceitos de guerra e paz; - Promover espaços de partilha e debate de experiências educativas no contexto da educação histórica; - Propor estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras no trabalho dos conceitos de paz e guerra; - Utilizar e construir recursos educativos digitais potenciadores da construção do conhecimento e da literacia digital.

Conteúdos

O papel da História na formação dos jovens cidadãos, na compreensão de situações que marcam a atualidade; Conceitos de guerra e paz e estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras no trabalho dos conceitos de paz e guerra; Construção de recursos educativos digitais potenciadores da construção do conhecimento e da literacia digital.

Avaliação

Obrigatoriedade de frequência da totalidade das horas da ACD, nos termos do Despacho n.º 5741/2015

Modelo

Questionário a preencher pelos Formandos


Observações

Formadoras: Doutora Olanda Barbosa Vilaça e Doutora Cláudia Amaral

Obrigatoriedade de frequência da totalidade das horas da ACD, nos termos do Despacho n.º 5741/2015

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 1851 Concluída

Registo de acreditação: ACD23-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 20-04-2023

Fim: 27-04-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro, Alcobaça _AE Cister

Formador

José Manuel Araújo Martins

Destinatários

Docentes do grupo 230 e 500

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Cister e CFAE dos Concelhos de Alcobaça

Enquadramento

O documento das novas Aprendizagens Essenciais de Matemática, homologado a 19 de agosto de 2021, define um conjunto de objetivos gerais para a aprendizagem da Matemática, sendo um deles o Pensamento computacional “Desenvolver e mobilizar o pensamento computacional, capacidade que tem vindo a assumir relevância nos currículos de Matemática de diversos países. O pensamento computacional pressupõe o desenvolvimento, de forma integrada, de práticas como a abstração, a decomposição, o reconhecimento de padrões, a análise e definição de algoritmos, e o desenvolvimento de hábitos de depuração e otimização dos processos. Estas práticas são imprescindíveis na atividade matemática e dotam os alunos de ferramentas que lhes permitem resolver problemas, em especial relacionados com a programação.” Uma das linguagens de programação referidas é o Scratch, que por não exigir o conhecimento prévio de outras linguagens de programação, é ideal para ajudar na aprendizagem de conceitos matemáticos e computacionais.

Objetivos

Capacitar os docentes envolvidos para a utilização do ambiente de programação visual Scratch. Criar programas em Scratch para introduzir ou consolidar conhecimentos matemáticos.

Conteúdos

• Apresentação dos objetivos da ação. Iniciação à programação em Scratch (3 horas). • Atividades matemáticas com Scratch (3 horas).

Metodologias

Esta ação terá uma duração 6 horas, distribuídas por duas sessões de 3 horas cada. As sessões terão um carácter presencial teórico-prático. Os formandos terão oportunidade de trabalhar individualmente e/ou em grupo, em ligação com os contextos de cada escola/agrupamento, as experiências e conhecimentos prévios dos formandos. As sessões incluirão, ainda, momentos e espaços de partilha de experiências e de discussão.

Avaliação

• Obrigatoriedade de frequência das 6 horas de formação. • Participação e realização das tarefas propostas na ação. Aplicação do Despacho n.º 5741/2015

Bibliografia

DGE. (2012). Aprendizagens Essenciais de Matemática. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/3_ciclo/aemat_7a_2021-08-19.pdf [Consultado em 10/05/2022] NEVES, Maria Augusta Ferreira Neves; João Sá Duarte; José Martins; Luísa Faria (2022) MX7 - MXOn do Professor. Porto. Porto Editora.

Anexo(s)

Formador: José Manuel Araújo Martins


Observações

Certificação _ Obrigatoriedade de frequência das 6 horas de formação

15:30 - 18:30 - Mestre: José Manuel Araújo Martins

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-04-2023 (Quinta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial
2 27-04-2023 (Quinta-feira) 15:30 - 18:30 3:00 Presencial

Ref. 177C27/A1 Concluída

Registo de acreditação: ACD20-2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 19-04-2023

Fim: 10-05-2023

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e professores de Educação Especial.

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

A conceção de cenários inovadores, recorrendo a metodologias de aprendizagem ativa, são uma resposta aos novos desafios que se colocam à educação, à escola e aos professores do século XXI, de modo que todos os alunos alcancem as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Pretende-se a construção de ambientes educativos aliciantes, com o uso da tecnologia, que privilegiam a ação do aluno, favorecendo a motivação, a criatividade e o envolvimento do aluno na construção individual ou coletiva do conhecimento, indo ao encontro de uma educação inclusiva “enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento da participação nos processos de aprendizagem e na vida da comunidade educativa” (Decreto-Lei nº 54/2018, de 6 de julho). Estes cenários podem ser integrados em contexto curricular das disciplinas, em contextos de trabalho interdisciplinar e/ou de articulação curricular, nomeadamente em Domínios de Autonomia Curricular, tendo por referência o Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, que regulamenta a implementação da “Autonomia e Flexibilidade Curricular” nas escolas.

Objetivos

Compreender a pertinência do desenvolvimento de atividades de aprendizagem ativa no contexto educativo atual; Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Conteúdos

Refletir sobre o conceito de aprendizagem ativa; Conhecer metodologias e estratégias que promovem a aprendizagem ativa; Exemplos práticos de aprendizagem ativa; Experimentação de metodologia(s) de Aprendizagem Ativa. Partilhar práticas pedagógicas que recorrem a metodologias ativas de aprendizagem.

Avaliação

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Modelo

A Certificação requer a frequência da totalidade das horas da ACD.

Bibliografia

Decreto-Lei n.º 55/2018, 6 de julho. Decreto-Lei n.º 54/2018, 6 de julho. Direção-Geral da Educação, 2018. Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Anexo(s)


Observações

Para obtenção do certificado é necessário a frequência a todas a horas da ação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-04-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 10-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial

Ref. 1841 Concluída

Registo de acreditação: ACD22- 2022/2023

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 03-04-2023

Fim: 03-04-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária D. Inês de Castro_ AE Cister

Formador

Maria Manuela da Silva Lourenço

Destinatários

Educadores de InfProfessores dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/.2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

AE cister


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-04-2023 (Segunda-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 134C21/A1 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/625/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 31-03-2023

Fim: 14-06-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Cister

Formador

Nuno Miguel Murraças Borda de Água

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os Assistentes Técnicos e Operacionais desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos Assistentes do sistema educativo e formativo nacional e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de apoio e suporte ao ensino e à aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos Assistentes. Os Assistentes Técnicos e Operacionais fazem parte das comunidades educativas e de aprendizagem assumindo-se como destinatários primordiais definidos pelo quadro Europeu de Competências Digitais para os Educadores, quadro definido pela Comissão Europeia e pelos programas nacionais de desenvolvimento da literacia digital dos cidadãos nacionais (INCODE).

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os Assistentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver a sua literacia digital. São objetivos específicos:- promover o desenvolvimento das CD dos assistentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu;- capacitar os assistentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes áreas de trabalho profissional;- capacitar os assistentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os assistentes para a implementação de atividades promotoras do desenvolvimento dos seus níveis de literacia digital.

Conteúdos

Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Profissionalidade: Exploração de estratégias de apoio ao ensino e à aprendizagem digital. 5. Desafios no desempenho profissional: Exploração de estratégias de profissionalidade digital. Melhoria das abordagens de intervenção através de soluções digitais. 6. Consolidação de atividades profissionais com tecnologias digitais em diferentes situações de intervenção profissional. 7. Avaliação.

Avaliação

Ponderação: Participação (%) :40 Assiduidade (%): 10 Teste escrito / Trabalhos (%): 50 Escala de 1 a 20 valores

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/leg Portugal Digital. Formar pessoas para o digital. Disponível em https://portugaldigital.gov.pt/formar-pessoas-para-o-digital/


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 31-03-2023 (Sexta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
2 05-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
3 26-04-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
4 05-05-2023 (Sexta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
5 17-05-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
6 19-05-2023 (Sexta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
7 29-05-2023 (Segunda-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
8 02-06-2023 (Sexta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
9 07-06-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial
10 12-06-2023 (Segunda-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
11 14-06-2023 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial

Ref. 154C8/T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115691/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 29-03-2023

Fim: 13-07-2023

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Salomé da Silva Pedro

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Metodologias

• O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

- Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica_ desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção


Observações

.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-03-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 31-03-2023 (Sexta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
3 26-04-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
4 17-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
5 24-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
6 07-06-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
7 14-06-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
8 13-07-2023 (Quinta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial

Ref. 157C10/T1 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-03-2023

Fim: 01-06-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Zélia Maria Lopes Marques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 29-03-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 10-05-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 18:30 1:30 Online síncrona
6 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 23-05-2023 (Terça-feira) 17:00 - 18:30 1:30 Online síncrona
8 24-05-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
9 01-06-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona

Ref. 157C10/T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115694/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-03-2023

Fim: 01-06-2023

Regime: e-learning

Local: Online

Formador

Eliana Borges Henriques Vieira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial e grupo de recrutamento 360.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

Decorrente da situação pandémica vivida nos dois últimos anos e da convicção de que o potencial da formação de professores contribui para atuar como uma alavanca para a mudança no sistema de ensino, a Direção-Geral da Educação de forma a garantir o desenvolvimento do seu plano de formação, reorganizou esse mesmo plano de acordo com o estabelecido na Carta Circular CCPFC-1/2020, e subsequentes, passando assim a assegurar a frequência das ações de formação de “regime presencial” para “regime a distância”. A partir desta necessidade surgiram ambientes virtuais de ensino a distância, tendo-se verificado as seguintes vantagens: bom acolhimento por parte dos formandos, melhor gestão e rentabilização do tempo, redução de custos inerentes às suas deslocações, desenvolvimento de competências digitais, possibilidade de desenvolvimento de trabalho colaborativo/em grupo nas sessões síncronas, acesso aos conteúdos (documentos - texto, áudio, vídeo, etc.) e controlo do seu progresso e desempenho no LMS.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem) Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre: o os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação; o a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo; o o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos; o a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens; o a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação. Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos. • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem). Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula • Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas. • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem • Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens. • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino. • O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Metodologias

Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologias ativas de ensino e de aprendizagem. Será privilegiado o trabalho em pequeno e grande grupo com momentos de reflexão e de discussão restrita e alargada. Nas sessões, devem ser definidos tempos de partilha e de reflexão em torno das experiências e das práticas dos formandos, devendo o formador ter um papel ativo na ligação das práticas às políticas educativas de inclusão. Os docentes devem ser desafiados à revisão das suas práticas pedagógicas de acordo com os referenciais normativos em vigor. Elaboração de trabalho/reflexão final individual em função dos interesses e preferências dos formandos. Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas (4 horas – 2 sessões de 2 h) Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas (8 horas – 4 sessões de 2h) Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula (6 horas – 3 sessões de 2 h) Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem (7horas - 2 sessões de 2 h e uma de 3h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

- DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Prática Disponível em https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 - Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N., Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora, 2021. - European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 - Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 - UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education.

Anexo(s)

Certificado de Acreditação_Conselho Cientifico


Observações

.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-03-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona
2 29-03-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 10-05-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 17-05-2023 (Quarta-feira) 17:00 - 18:30 1:30 Online síncrona
6 18-05-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 23-05-2023 (Terça-feira) 17:00 - 18:30 1:30 Online síncrona
8 24-05-2023 (Quarta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
9 01-06-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:45 3:30 Online síncrona

Ref. 134C21/A4 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/625/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 22-03-2023

Fim: 06-07-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto

Formador

Andrea Isabel Pereira César Osório

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os Assistentes Técnicos e Operacionais desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos Assistentes do sistema educativo e formativo nacional e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de apoio e suporte ao ensino e à aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos Assistentes. Os Assistentes Técnicos e Operacionais fazem parte das comunidades educativas e de aprendizagem assumindo-se como destinatários primordiais definidos pelo quadro Europeu de Competências Digitais para os Educadores, quadro definido pela Comissão Europeia e pelos programas nacionais de desenvolvimento da literacia digital dos cidadãos nacionais (INCODE).

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os Assistentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver a sua literacia digital. São objetivos específicos:- promover o desenvolvimento das CD dos assistentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu;- capacitar os assistentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes áreas de trabalho profissional;- capacitar os assistentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os assistentes para a implementação de atividades promotoras do desenvolvimento dos seus níveis de literacia digital.

Conteúdos

Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Profissionalidade: Exploração de estratégias de apoio ao ensino e à aprendizagem digital. 5. Desafios no desempenho profissional: Exploração de estratégias de profissionalidade digital. Melhoria das abordagens de intervenção através de soluções digitais. 6. Consolidação de atividades profissionais com tecnologias digitais em diferentes situações de intervenção profissional. 7. Avaliação.

Avaliação

Ponderação: Participação (%) :40 Assiduidade (%): 10 Teste escrito / Trabalhos (%): 50 Escala de 1 a 20 valores

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/leg Portugal Digital. Formar pessoas para o digital. Disponível em https://portugaldigital.gov.pt/formar-pessoas-para-o-digital/


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
2 05-04-2023 (Quarta-feira) 11:00 - 13:30 2:30 Presencial
3 03-05-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
4 10-05-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
5 03-07-2023 (Segunda-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
6 04-07-2023 (Terça-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
7 05-07-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
8 06-07-2023 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial

Ref. 154C8/T2 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115691/22

Modalidade: Círculo de Estudos

Duração: 38.0 horas (25.0 horas presenciais)

Início: 22-03-2023

Fim: 13-07-2023

Regime: Presencial

Local: Externato Cooperativo da Benedita

Formador

Marisa Costa Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAECAN

Enquadramento

No âmbito do Projeto MAIA, e ao longo dos anos letivos de 2019/2020 e 2020/2021, realizaram-se centenas de Oficinas de Formação (OF), que ocorreram em praticamente todos os CFAE e cujo principal produto foi a conceção e a elaboração de um Projeto de Intervenção (PI) no domínio da avaliação pedagógica. Este PI, definia um conjunto de Princípios de Avaliação Pedagógica que enquadrava quer a definição de uma Política de Avaliação, quer a definição de uma Política de Classificação. A ideia que presidiu à elaboração dos PI era a de o concretizar nos AE/ENA dos formandos que os conceberam e elaboraram, tendo em conta as condições concretas de cada instituição, bem como o respetivo Projeto Educativo Como seria expectável, atendendo às condições existentes em cada AE/ENA, há diferentes graus de apropriação dos propósitos do Projeto MAIA e, consequentemente, o mesmo sucede com a concretização e desenvolvimento dos PI. Assim, há dificuldades que têm sido recorrentemente sinalizadas por diversos intervenientes neste processo. Reconheceu-se, assim, a necessidade de se conceber e desenvolver o presente Círculo de Estudos de modo a contribuir para que dificuldades possam ser ultrapassadas e para que as instituições que estão envolvidas neste processo possam concretizar e desenvolver os seus PI. Através desta modalidade de formação, os formandos terão a oportunidade ultrapassar as dificuldades reportadas de através da reflexão e discussão das experiências das suas unidades orgânicas.

Objetivos

• clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI. • aprofundar a conceção e a elaboração dos PI. • analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI. • delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição. • contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições. • desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação. • partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. • conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais: • Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal. • Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. • Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação. • Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas. • Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento. • Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.

Metodologias

• O trabalho presencial será organizado de forma que os formandos estabeleçam relações entre o contexto da formação e das escolas. • Os participantes constituem uma comunidade de aprendizagem e de práticas, que discute os PI, visando a sua melhoraria, clarificação e aprofundamento. • Os formandos terão um papel central nos processos de formação, nomeadamente no que se refere à melhoria e/ou aprofundamento dos PI. • Os formadores são recursos qualificados que distribuirão feedback, orientando os formandos, dinamizando as sessões de trabalho e garantindo o desenvolvimento de discussões com real significado para a concretização e desenvolvimento dos PI. • As sessões presenciais serão planificadas tendo em vista a análise e discussão que permita eventuais ajustamentos e/ou melhorias dos PI.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. A avaliação dos formandos decorre ao longo de todas as sessões com base nas interações que se forem estabelecendo a partir das intervenções realizadas nas suas instituições. Os PI reformulados assim como os Planos de Formação serão objeto de apresentação e discussão nas sessões presenciais e constituirão processos e produtos fundamentais.

Bibliografia

- Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. - Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)

Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica_ desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção


Observações

.

As datas de início e término são indicativas. As turmas serão constituídas por AE/ENA, tendo cada uma no máximo 10 elementos.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-03-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 29-03-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
3 26-04-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
4 17-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
5 24-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
6 31-05-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
7 07-06-2023 (Quarta-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
8 13-07-2023 (Quinta-feira) 16:30 - 20:30 4:00 Presencial

Ref. 134C21/A2 Concluída

Registo de acreditação: DGAE/625/2021

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-03-2023

Fim: 15-05-2023

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas da Nazaré

Formador

José Alexandre Mirão Brilhante

Destinatários

Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais

Acreditado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas dos Concelhos de Alcobaça e Nazaré

Enquadramento

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os Assistentes Técnicos e Operacionais desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos Assistentes do sistema educativo e formativo nacional e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de apoio e suporte ao ensino e à aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos Assistentes. Os Assistentes Técnicos e Operacionais fazem parte das comunidades educativas e de aprendizagem assumindo-se como destinatários primordiais definidos pelo quadro Europeu de Competências Digitais para os Educadores, quadro definido pela Comissão Europeia e pelos programas nacionais de desenvolvimento da literacia digital dos cidadãos nacionais (INCODE).

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os Assistentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver a sua literacia digital. São objetivos específicos:- promover o desenvolvimento das CD dos assistentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu;- capacitar os assistentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes áreas de trabalho profissional;- capacitar os assistentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os assistentes para a implementação de atividades promotoras do desenvolvimento dos seus níveis de literacia digital.

Conteúdos

Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Profissionalidade: Exploração de estratégias de apoio ao ensino e à aprendizagem digital. 5. Desafios no desempenho profissional: Exploração de estratégias de profissionalidade digital. Melhoria das abordagens de intervenção através de soluções digitais. 6. Consolidação de atividades profissionais com tecnologias digitais em diferentes situações de intervenção profissional. 7. Avaliação.

Avaliação

Ponderação: Participação (%) :40 Assiduidade (%): 10 Teste escrito / Trabalhos (%): 50 Escala de 1 a 20 valores

Bibliografia

Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/leg Portugal Digital. Formar pessoas para o digital. Disponível em https://portugaldigital.gov.pt/formar-pessoas-para-o-digital/


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-03-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
2 22-03-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
3 27-03-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
4 17-04-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
5 19-04-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
6 26-04-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
7 03-05-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
8 08-05-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
9 10-05-2023 (Quarta-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial
10 15-05-2023 (Segunda-feira) 16:00 - 18:30 2:30 Presencial